Perto de enfrentar ex-campeão do Bellator, Viscardi Andrade comemora bom início de 2019

por: TATAME | @tatameofficial
Publicado em 18/04/2019

publicidade

Viscardi Andrade começou o ano de 2019 da melhor maneira possível: superando um grande desafio na carreira. Em março, o lutador foi até a Rússia para medir forças com Sergey Martynov, e não demorou para mandar o russo à lona em nocaute. O triunfo catapultou novamente o brasileiro à boa fase, e um novo compromisso está agendado. Viscardi retornará à Rússia para encarar Alexander Shlemenko, no dia 4 de maio, na cidade de Chelyabinsk, na principal luta da sexta edição do evento Russian Cagefighting Championship, o RCC.

A importante vitória logo na estreia pelo evento russo teve um gosto especial para Viscardi Andrade. Acostumado a grandes desafios ao longo da carreira, o paulista voltou a viver a expectativa por grandes lutas tendo como palco um dos principais cages do mundo. Por quase três anos, Viscardi integrou o plantel de atletas do UFC, tendo três triunfos e apenas um revés no octógono da franquia.

“Foi muito especial lutar na Rússia, uma experiência profissional incrível. Não é fácil lutar por lá, mas é desafiador. Enfrentei um cara duríssimo, que estava embalado por vários nocautes, e a pressão é grande. Consegui entender bem como era o jogo dele, estudei muito, e fiz uma grande luta. Ele deixou o cage de maca, a mão entrou pesada (risos). Por tudo isso, meu 2019 começou muito bem, e agora quero manter essa ótima fase”, comemorou o lutador.

Uma peculiaridade para o brasileiro marcou o triunfo sobre Martynov. O embate aconteceu no dia 9 de março, sábado seguinte ao carnaval, o que forçou Viscardi a treinar intensamente durante todo o período dos festejos. Junto com sua equipe, o lutador tratou de transformar a coincidência em mais um fator motivacional.

“Lutar próximo do carnaval foi ruim, bom e engraçado ao mesmo tempo. Ruim porque eu gosto de carnaval, como a grande maioria dos brasileiros, então não tive um dia sequer de folia. Segurei bem a onda. E foi bom porque consegui um grande nocaute, e também engraçado porque isso acabou me motivando ainda mais. Meus treinadores falavam: ‘Lembra que esse cara fez você perder o carnaval’. Fui para cima dele ainda com mais vontade de nocauteá-lo”, recordou, aos risos.

No planejamento do lutador, um ano com muitos compromissos pela frente. Após ter entrado em ação apenas uma vez em 2018, ano no qual ele dedicou-se à administração de sua academia em São Paulo, Viscardi não diminuiu o ritmo dos treinos e aceitou o combate contra Alexander Shmelenko, ex-campeão do Bellator, importante franquia de lutas norte-americana.

O convite para o embate não demorou para chegar até o brasileiro. Logo após o nocaute na luta válida pelo RCC 3, Viscardi respondeu a diversos repórteres russos sobre um possível choque contra Shmelenko. Desafio prontamente aceito por ambas as partes, o combate tem espaço como principal atração do RCC 6, válido pela categoria até 84 kg, fazendo Viscardi subir de vez de peso.

“Eu mandei um dos principais lutadores russos para o hospital em minha última luta, então eles querem me dar um desafio ainda maior. Me ofereceram o Shmelenko, e aceitei na hora. É o tipo de luta que eu quero, que me motive, me faça ser melhor. Ele é muito famoso por lá, é um dos principais lutadores do mundo na categoria, e isso me empolga. Lutei muito bem até 84 kg, me senti forte, e isso me deixa confiante para fazer mais uma grande luta no dia 4 de maio e trazer a vitória para o Brasil”, encerrou.

Veja também

publicidade

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade