Melissa Gatto revela ‘choque’ com ausência no UFC Rio, mas já projeta nova oportunidade: ‘Não vejo a hora’

    Melissa Gatto não pôde estrear no UFC Rio, mas já projeta nova oportunidade (Foto Photo Fight Brasil)

    Chamada às pressas para substituir Jessica-Rose Clark no UFC 237, que aconteceu no começo de maio, no Rio de Janeiro, Melissa Gatto acabou pegando todos de surpresa quando anunciou que não poderia lutar no evento. A lutadora foi impedida de competir pela Comissão Atlética Brasileira de MMA (CABMMA) por conta de uma infecção de pele que poderia colocá-la em risco no que seria a primeira luta da noite contra Talita Bernardo.

    “Na terça (semana da luta) recebemos o médico da Comissão Atlética no meu quarto e ele disse que eu poderia lutar, que isso não me impediria. Na quarta-feira de manhã recebi uma ligação do meu empresário e ele me disse que estávamos fora do card. Foi um choque para mim, fiquei muito chateada. Pedimos uma reavaliação do caso, mas infelizmente eles já tinham tomado a decisão de que eu não poderia estrear no sábado. A Comissão é realmente muito rigorosa quando se trata da saúde dos atletas, mas já estou 100% e não vejo a hora de poder estrear no UFC”, detalhou a jovem atleta, de apenas 23 anos.

    Substituída por Viviane Araujo, Melissa viu Talita Bernardo ser dominada – e derrotada – pela estreante no Ultimate. Dona de um cartel invicto onde ostenta seis vitórias e dois empates em oito confrontos, a campineira agora aguarda pela oportunidade de estrear no palco do UFC, o que deve acontecer em luta válida pela categoria dos moscas, divisão de origem da lutadora. Questionada sobre o pouco tempo de preparação que teve, Melissa lamentou o fato de ter sido impedida de lutar e sentir o carinho da torcida:

    “Fiquei muito chateada por não poder estrear no UFC 237, a energia brasileira é incrível. Apesar de pouco tempo para treinar, eu fiz um excelente camp e estava preparada para o combate. Claro que, agora, terei mais tempo para poder treinar, ajustar os detalhes para o próximo compromisso e me preparar ainda mais para entrar em ação”, afirmou.

    Para o seu debute na franquia, Melissa contou com uma ajuda de peso. Jennifer Maia, ex-campeã do Invicta FC e atualmente no plantel do UFC, auxiliou a lutadora de 23 anos na preparação do duelo que acabou não acontecendo no Rio de Janeiro. Feliz com a ascensão das atletas brasileiras dentro da organização, Melissa vibrou com a vitória da nova campeã Jéssica Bate-Estaca sobre Rose Namajunas na luta principal do UFC 237.

    “Fiquei muito feliz pela Jéssica, representou nossa bandeira e conseguiu trazer mais um cinturão para o Brasil. A Rose é uma verdadeira campeã, mas a Jéssica foi melhor no sábado”, analisou Melissa, atleta da Spartacus Academy e da Team Bronx Cascável.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome