Destaque do UFC Rio, Warlley Alves revela conversa ‘chave’ com treinador para conquistar nocaute; confira

    Warlley Alves conquistou o bônus de performance da noite no UFC 237 no último dia 11 (Foto Getty Images)

    Por Diogo Santarém

    Warlley Alves foi um dos principais destaques da última edição do UFC Rio, realizada no dia 11 de maio. O lutador nocauteou o compatriota Serginho Moraes no terceiro round e saiu com US$ 50 mil de bônus pela sua performance. À TATAME, o peso-meio-médio revelou uma conversa exclusiva que teve com seu treinador para acelerar e encerrar a luta.

    “Foi um conjunto de coisas, mas o que mais me marcou para aquela decisão (ir em busca do nocaute) foi o meu treinador. A luta estava praticamente ganha, faltavam 40 segundos para acabar. Se eu corresse 40s ele não ia conseguir me botar no chão e finalizar. Então, eu tinha duas opções: terminar antes dos três rounds ou aguardar. Mas o meu treinador, Guilherme Pinheiro, teve uma conversa comigo muito séria”, disse Warlley, que seguiu:

    “Ninguém sabe disso… Ele falou assim: ‘Warlley, se você quiser ser mais um no UFC, você vai ganhar as lutas por pontos, administrar e vencer com o regulamento. Agora, se você quiser fazer diferente, você tem que nocautear ou finalizar. Se vira e consegue, com a luta ganha ou não’. E faltando um minuto para a luta acabar eu tive esse pensamento, estava administrando. Então pensei comigo mesmo, vou partir pra cima desse cara e vou nocauteá-lo agora, foi quando eu dei a joelhada e aconteceu o uppercut”, apontou ele.

    Warlley, que é natural de Minas Gerais, mas vive há anos no Rio de Janeiro, contou como foi ter uma recepção calorosa na arena do Parque Olímpico. Além disso, o lutador, que venceu três das suas últimas quatro lutas, quer seguir crescendo na divisão e revelou que gostaria de lutar no UFC Abu Dhabi, marcado para setembro, nos Emirados Árabes Unidos.

    Confira o restante da entrevista com Warlley:

    -Sensação de vencer lutando em casa com apoio da torcida

    Eu vibrei muito. Foi uma sensação indescritível. Estava no quintal de casa, né, moro a 2km de distância, então meus amigos que cresceram comigo, família, estavam todos presentes. Foi uma luta sensacional, estou muito feliz, sem dúvida vai ficar marcado pra mim.

    -Moral para os próximos desafios no peso-meio-médio

    Com certeza (essa vitória dá moral). Acho que me credencia a pegar um Top 20 e, passando dessa luta, pegar um Top 15 e começar minha escalada. A vida inteira eu treinei para isso e estou mais motivado do que nunca para tornar esse objetivo uma realidade.

    -Recuperação pós-luta e planos para volta ao octógono

    Eu tive algumas lesões no pé devido aos chutes que eu dei. Três chutes pegaram na guarda do Serginho e acabaram me rendendo fraturas no pé, mas foram microfraturas, então isso melhora em cerca de um mês com descanso e fisioterapia, e aí já volto a treinar. Voltando a treinar eu gostaria muito de lutar no card do UFC Abu Dhabi, em setembro, ou em novembro no próximo evento no Brasil. Mas a minha vontade, se o UFC e meus treinadores permitirem, queria mesmo lutar em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome