Amanda Ribas relembra ‘baque’ com doping e comemora primeira luta no UFC: ‘Pronta pra fazer o que eu amo’

Publicado em 23/05/2019 por: Nilmon

publicidade

Por Mateus Machado

O pesadelo chegou ao fim. Suspensa desde 7 de junho de 2017, quando foi flagrada em exame antidoping por uso de Ostarine, Amanda Ribas está livre para, enfim, estrear no UFC. A brasileira foi liberada recentemente pela USADA (Agência Antidoping dos EUA) e não será necessário cumprir o restante da punição de dois anos que lhe foi imposta.

A liberação veio junto com o anúncio de seu primeiro combate na organização. A peso-palha, que não luta desde maio de 2016, terá pela frente a americana Emily Whitmire no card do UFC Minneapolis, que está marcado paa o dia 29 de junho, nos Estados Unidos. Com seis vitórias e apenas uma derrota em seu cartel, a mineira, em entrevista à TATAME, vibrou com o fim da suspensão e falou sobre o sentimento em poder lutar novamente.

“Meu empresário estava tomando conta de tudo para mim e eu estava focada só em treinar e me dedicar ao que eu amo fazer, que é estar preparada para estrear bem dentro do cage. Quando saiu a liberação, eu não sabia de chorava, se corria de felicidade (risos)… A liberação veio junto com a data da luta e eu estou muito feliz em voltar a fazer o que eu amo”, exaltou a jovem lutadora brasileira, atualmente aos 25 anos.

Confira outros trechos da entrevista com Amanda Ribas:

-Treinos para a estreia no UFC e análise da rival

Meus treinos têm sido bem intensos e agora, sim, voltaram a ser focados para uma luta. Eu venho acompanhando ela (Emily Whitmire), sei que vem de duas vitórias na organização, então é uma luta muito boa pra mim, por pegar uma lutadora que vem crescendo é excelente. Já vi que ela é boa de chão, treina com a Claudinha Gadelha, mas nada disso importa, e sim tudo o que eu venho fazendo para ter uma grande estreia.

-‘Baque’ após anúncio de doping e aprendizados

No começo, foi bem complicado, porque eu estava longe de casa, na American Top Team, treinando certinho, com dieta, quando veio a notícia do doping, então foi um baque muito forte. Mas graças a Deus minha família e meus amigos deram todo o suporte e, nesses dois anos, eu tenho certeza que sou uma atleta muito mais experiente e completa.

-Projeção para sua sequência dentro do UFC

Eu sou uma pessoa focada, sempre competi desde nova. Estou focada primeiro nessa luta, onde eu quero ganhar dando show, não importa como. Depois, a gente vai pensando na sequência. Como eu já vou estrear fazendo a primeira luta do card, na próxima eu já quero chegar pertinho de um co-main event, se é para sonhar, temos que sonhar alto (risos).

-Sonho de ser campeã e lutar em card no Brasil

Minha primeira luta é contra a Emily, lógico, mas eu quero enfrentar a dona do cinturão, é o meu sonho e vou atrás dele. Planejo lutar bastante esse ano para ganhar ritmo de luta. Onde a organização me mandar para lutar, eu vou. Também tenho um sonho de lutar no Brasil, e quem sabe eu não consiga uma vaga no próximo card? Vou me esforçar.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade