Inspiração em família e status de futuras estrelas: conheça mais os irmãos Munis

por: TATAME | @tatameofficial
Publicado em 29/05/2019

publicidade

Por Mateus Machado

Vem se tornando cada vez mais comum nos esportes o surgimento de irmãos competindo na mesma modalidade. No Jiu-Jitsu, por exemplo, o caso mais famoso na atualidade é o de João e Paulo Miyao, multicampeões na faixa preta. Também é possível citar as irmãs Thamires e Jhenifer Aquino, faixas-preta e roxa, respectivamente, entre muitos outros.

Mas a lista não para por aí, e os fãs da arte suave já podem se preparar para o surgimento de um novo grupo de irmãos. Na faixa roxa, Erich e Anderson Munis vêm impressionando pelos bons resultados obtidos recentemente, com títulos no Europeu e Pan-Americano da IBJJF, Abu Dhabi World Pro e também no Brasileiro da CBJJ. Se junta à dupla Alex Munis, graduado faixa-marrom recentemente e campeão em sua categoria no Brasileiro.

Às vésperas de mais um Mundial da IBJJF – que acontece nesta semana, na Califórnia (EUA) -, a TATAME conversou com Erich, Anderson e Alex, atualmente representantes da equipe Alliance, que falaram sobre seus respectivos momentos, a expectativa para o principal torneio da temporada na arte suave, inspirações, entre outros assuntos.

Confira a entrevista completa com os irmãos Munis:

-Evolução dentro do Jiu-Jitsu e momento de alta

Erich: Eu já venho treinando duro faz muito tempo. Acho que se uma pessoa trabalha duro, a hora dela vai chegar, então tento trabalhar duro em todas as áreas da minha vida e, aos poucos, os bons resultados estão aparecendo. É manter o dia a dia firme para seguir conquistando os objetivos que surgirem. Os treinos e a evolução não param.

Anderson: Acredito que toda essa evolução se deve ao comprometimento que temos com os treinos e também com o estilo de vida que isso demanda, com treinos intensos, boa alimentação e descanso. Considero que seja a chave para o sucesso de qualquer atleta.

Alex: Eu devo tudo à minha família e aos meus irmãos, que sempre estão comigo. Estamos sempre treinando juntos para superar qualquer obstáculo que seja. Essa união é importantíssima para a nossa evolução como atleta e pessoa, e vamos colhendo os frutos.

-Bom momento de Erich e Anderson na faixa roxa

Erich: Meu dia a dia com meus irmãos é simplesmente incrível. Quando qualquer um de nós tem dúvidas sobre o Jiu-Jitsu, tiramos essas dúvidas entre nós, porque por mais que tenhamos um jogo parecido, cada um pensa de uma maneira diferente e, dessa forma, temos evoluído bastante nos últimos anos. Sempre um agregando ao jogo do outro.

Anderson: Nós treinamos duro todos os dias, não tem muito o que falar, não tem segredo. Nosso objetivo maior é fechar, no futuro, o pódio do absoluto no Mundial na faixa preta.

-Preparação para o Mundial de Jiu-Jitsu da IBJJF

Erich: Nossa preparação já vem sendo feita desde o ano passado, para falar a verdade. Sempre estamos treinando duro, estamos vindo de bons resultados e com uma alegria imensa de comprovar esse bom momento que estamos vivendo na disputa do Mundial.

Anderson: Atualmente, mudamos nossa rotina de treinos. Estamos morando em São Paulo e agora fazemos um treino apenas de Jiu-Jitsu por dia, nos outros períodos, fazemos um treino de drill e preparação física para complementar a preparação de uma forma geral.

Alex: A preparação para esse Mundial foi ótima. A nossa ida para a equipe Dream Art impulsionou muito mais o nosso potencial. Estamos trabalhando muito forte para o Mundial desde o ano passado, a partir do momento em que decidimos não lutar o Mundial de 2018.

-Principais inspirações dentro do Jiu-Jitsu

Erich: Eu me inspiro muito nos meus irmãos e também no meu pai, que é meu maior motivador durante toda minha trajetória pessoal e profissional. São meus exemplos.

Anderson: A minha inspiração maior são os meus irmãos, isso é inegável, porque batalhamos juntos todos os dias para chegar onde queremos chegar, e vamos conseguir.

Alex: Eu tenho várias e várias inspirações dentro do Jiu-Jitsu. Uma delas é o Michael Langhi, afinal, eu tenho o meu jogo de guarda inspirado nele, foi um dos primeiros caras que eu vi lutando quando iniciei. O outro é o Lucas Lepri, porque eu gosto muito do seu jeito de passar a guarda. Ambos têm uma filosofia de vida que eu me espelho muito.

-Graduação para a faixa marrom após o Mundial

Erich: Se tudo der certo, possivelmente com o título no Mundial, acho que sim, existe essa possibilidade (ser graduado à faixa-marrom). Os planos vão ser os mesmos, não vai mudar muita coisa. É continuar trabalhando duro para o próximo ano e para os próximos desafios.

Anderson: Acredito que existe, sim, a possibilidade de ser graduado à faixa-marrom dependendo do nosso desempenho no Mundial, por conta dos últimos resultados que tivemos. Acredito também que não vai mudar muita coisa em relação ao que fazemos.

-Planos para o restante da temporada 2019

Erich: Ainda não tenho plano definido ou campeonato para o restante da temporada, vai depender muito do que aparecer de oportunidade ao longo do ano. Mas é certo que vou estar me preparando, como sempre, para caso haja a oportunidade, estar pronto.

Anderson: Próxima parada depois do Mundial vai ser o Spyder Korea, no mês de novembro. Meus planos são de fazer boas lutas neste evento, que terão os principais faixas-preta da atualidade, então considero uma oportunidade incrível para mim.

Alex: O segundo semestre vai ser cheio, por incrível que pareça. O meu projeto é estar com muitos planos e torneios para disputar a partir desse segundo semestre de 2019. Estamos treinando de maneira intensificada para o que vier pela frente na temporada.

Veja também

publicidade

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade