Vindo de duas derrotas consecutivas no UFC, Alex Cowboy vem passando por um momento turbulento também em sua vida pessoal. No último sábado (25), em Três Rios (RJ), o lutador foi acusado de agressão por sua ex-esposa, que alega que o Cowboy a teria agredido e, na “fuga”, levou o filho do casal de apenas cinco meses em uma motocicleta. Ainda segundo testemunhas, o meio-médio do UFC parecia estar sob influência de álcool.

Após a repercussão do caso, o lutador e seu advogado se apresentaram à delegacia local na última segunda-feira (27) para que o atleta apresentasse sua versão da história. Agora, os policiais de Três Rios vão investigar as acusações de agressão – entre outras -, enquanto Alex responderá em liberdade por não ter histórico de violência doméstica.

Em depoimento divulgado nesta quarta-feira (29) pelo GloboEsporte.com, André Lourenço, delegado responsável pelo caso, se pronunciou a respeito: “Foi uma tumefação (inchaço) de quatro centímetros de diâmetro em região occipital superior do crânio (nuca). Ou seja, confirmada lesão corporal por ação contundente”, disse André Lourenço.

O delegado também informou que, até o determinado momento, todas as testemunhas ouvidas confirmaram o relato da vítima e são contrárias à versão do lutador de 31 anos. Em contrapartida, a equipe de Alex Cowboy entrou em contato com o site MMA Fighting alegando a inocência do peso-meio-médio, mas sem mais comentários sobre o tema.