Luiza Monteiro comenta mudança de categoria para o Mundial e analisa nova divisão: ‘Não tem uma favorita’

Publicado em 30/05/2019 por: Nilmon

publicidade

Por Yago Rédua

A bicampeã do mundo Luiza Monteiro decidiu mudar de categoria para esta edição do Mundial da IBJJF, que acontece de hoje (30) a domingo (2), em Long Beach, na Califórnia (EUA). A lutadora da Atos Jiu-Jitsu competia na divisão dos leves, no entanto, vai se aventurar no peso-meio-pesado. À TATAME, Luiza contou que a troca não foi nada “planejado”, mas que precisava de novos “estímulos” para seu nono ano como faixa-preta.

“Na verdade, não foi uma coisa muito pensada. Acho que são muitos anos competindo já, esse ano faço nove de faixa-preta. Acho que mudar um pouco de categoria, adversárias, de desafios, me estimula um pouco mais, porque me faz mudar as coisas, ou seja, não fica na mesma sempre. Acho que é coisa de sagitariana (risos). Em relação ao peso, eu passei a me alimentar melhor, mais vezes ao dia, comecei a tomar suplementos. Antes eu só focava no treino e minha alimentação era meio ruim, comia muito pouco e coisas não tão saudáveis assim. Agora minha alimentação e preparação física são mais regradas”, disse.

A lutadora da Atos ainda fez uma análise da sua nova categoria, disse que ainda não tem “certeza” sobre sua participação no absoluto – divisão com todos os pesos -, mas contou que é provável que lute e comentou sobre a premiação em dinheiro, uma novidade no torneio da IBJJF. Além disso, fez um balanço da temporada 2018/2019.

Confira abaixo a entrevista com Luiza Monteiro:

-Análise da categoria dos meio-pesados

Sinto que não tem muito uma favorita, todas são duras. Achei que iam entrar a Monique (Elias) e a Cláudia (do Val), mas acabou que não entraram. São nomes que fazem falta no meio-pesado também. Tem a Maria Malyjasiak também, a Melissa… Todas são bem duras. Não dá pra saber. O negócio é estar preparada pra qualquer uma que vier sempre.

-Absoluto sem favorita e chance de participar

Com certeza fica mais aberta (disputa do absoluto sem Gabi Garcia e Tayane Porfírio). Tudo pode acontecer. Tem muita menina dura. Eu não posso te dizer com certeza, porque sempre decido na hora. Em vários absolutos, acho que a maioria que competi, eu estava decidida a não lutar e aí chegava na sexta-feira eu sentia uma força maior que eu indo lá e botando meu nome (risos), não sei explicar. Eu deixo fluir e espero pra ver o que vou sentir no dia da inscrição do absoluto. Difícil ficar de fora também, é como se fosse rolar uma festa e eu não tivesse sido convidada, então, bem provável que estarei lá no final.

-Opinião sobre a premiação em dinheiro

Eu esqueço toda hora esse lance da premiação. Não que eu não queira a grana, mas, não é o objetivo principal. O que vier é lucro. Mas claro que acho justo um campeão mundial ter algum retorno financeiro também. Achei legal a iniciativa da premiação em dinheiro.

-Balanço da sua temporada 2018/2019

Ah! O ano de 2019 tem sido muito bom pra mim. Em 2018 estava sendo ótimo também, mas aí aconteceu aquela lesão no World Pro, que acho que me atrapalhou muito para o Mundial 2018. Mas esse ano, graças a Deus, eu estou conseguindo concluir meus objetivos pouco a pouco. O trabalho foi feito, agora é ir lá e ver quem vai ser a melhor do dia. Eu estou com muita vontade e acho que isso conta muito lá na hora de entrar em ação.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade