Coluna Treinamento Desportivo: saiba mais sobre a Taxa de Desenvolvimento de Força em atletas

    Atleta Profissional de Kickboxing, Serginho Ferreira demonstra a posição (Foto Raphael Giacomelli)

    Por Stéfane Dias

    Deixar um atleta mais forte é muito importante para o seu desenvolvimento atlético, no entanto, mais importante do que o deixar forte, é ter certeza que o atleta está aplicando esta força dentro das suas habilidades esportivas e de maneira correta.

    A Taxa de Desenvolvimento de Força (TDF) é a medida para força explosiva, ou simplesmente, o quão rápido um atleta pode realizar força. Portanto, aumentar a Taxa de Desenvolvimento de Força de um atleta pode deixá-lo mais explosivo enquanto desenvolve mais força em um curto período de tempo.

    Existem diversos métodos de treinamento capazes de melhorar a TDF em populações não-treinadas, porém, em populações atléticas os métodos que demonstram os melhores resultados envolvem: o treinamento contra-resistido e o treinamento balístico.

    Trabalhar todos os pontos da curva Força-Velocidade é importante, visto que o objetivo da maioria dos atletas é entrar na competição aplicando as mais altas taxas de força no menor período de tempo possível (veja no gráfico abaixo).

    A partir dessa curva, podemos destacar algumas áreas que devem ser desenvolvidas em diferentes pontos da curva para melhorar a TDF de um atleta:

    • Força Máxima – Treino com altas sobrecargas (80%-100% RM), também chamado de “Método de Esforço Máximo”
    • Força Explosiva (Força-Velocidade) – Treino com sobrecargas entre 60-80% RM em que se utiliza mais velocidade
    • Força Rápida (Velocidade-Força) – Treino com sobrecargas entre 30%-60% RM realizados com máxima velocidade. Abaixo deste percentual a força vai perdendo ênfase, deixando apenas a velocidade como qualidade física predominante nessa relação de treinamento.

    Vale ressaltar que o conceito de força está na equação:

    F=m.a

    Onde:

    F = força
    M = massa
    A = aceleração

    Já a aceleração é: A= velocidade/tempo

    Onde:

    A = aceleração
    V = velocidade
    T = tempo

    E velocidade: V=∆S∆t

    Onde:

    V = velocidade
    ∆S = espaço
    ∆t = tempo

    A partir do que foi exposto acima fica claro entender que para um atleta a TDF é fundamentalmente determinada por conceitos pertinentes à prática esportiva e à performance, ou seja, a força deriva da massa corporal do atleta associada a velocidade que este desferirá o golpe, associado também à precisão do movimento.

    Observação:

    Recomendamos a ajuda de um profissional de educação física registrado no sistema CONFEF/CREF para desenvolver um programa individualizado.

    Referências:

    1. Loturco, I., Nakamura, F., Artioli, G., Kobal, R., Kitamura, K., Cal Abad., C… (2016) Strength and power Qualities are highly associated with punching impact in elite amateur boxers. Journal of Strength and Conditioning Research, 30(1)/109-116.
    2. Bompa, T. (1999) Periodization; Theory and Methodology of Training 4th ed. Champaigne, IL: Human Kinetics.

    Colunistas:

    Stéfane Dias: PhD em Treinamento Desportivo – Rússia e Professor da Keiser University – USA/ e-mail: mestraoatt@hotmail.com/ Instagram: https://www.instagram.com/dr.stefanedias/

    Fábio Vieira: PhD em Ciências do Movimento Humano e Professor do Centro Universitário UNIVAG – e-mail: fabio.vieira@hotmail.com – Instagram: https://www.instagram.com/fabiosfvieira/

    Diego Lacerda: Mestre em Treinamento Desportivo – Rússia – e-mail: diegocslacerda@gmail.com – Instagram: https://www.instagram.com/diegolacerdatkd/

    Pavel Pashkin: Mestre em Treinamento Desportivo e Treinador Profissional de Sambo – Rússia – e-mail: fitsambo@yandex.ru – Instagram: https://www.instagram.com/pashkinpavel 

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome