Coluna da Arte Suave: a importância da prática do Jiu-Jitsu sem limitações de idade; leia o artigo e opine

    Em seu artigo, Luiz Dias fala sobre a questão do Jiu-Jitsu sem limitação de idade (Foto divulgação)

    Por Luiz Dias

    Como professor, não é raro eu encontrar pessoas que comentam a vontade de treinar a nossa arte suave, algumas até já treinaram, mas na mesma frase, colocam sua idade ou falta de condicionamento físico, e até ambos, como fatores impeditivos, limitantes. Nos países orientais, essa visão distorcida não existe, mas ainda é muito forte aqui no ocidente.

    Por que um adulto não pode começar a treinar Jiu-Jitsu? Não vejo problema algum, e um outro fator que eu percebia e começa a mudar. Os campeonatos de master e sênior cada vez ganham mais competidores e com excelentes lutas. O fator idade não é impeditivo ou sinalizador para não termos boas lutas nessas categorias. Pelo contrário. O Jiu-Jitsu pode ser praticado por todos, sem limite de idade, seja por competidores ou não.

    As condições físicas melhoram a cada treino visando a competição ou não, e você estabelece as suas metas. O principal é mudarmos a visão que competição é só na categoria adulta, isso não cabe mais nos dias de hoje. Vamos vencer esse conceito errado, essa resistência. Se você é competidor, não permita que esse conceito te imponha limitações. O que importa deve ser o motivo certo de ir treinar e continuar a treinar, mas o primeiro movimento é superar essa resistência. Uma vez superada, se inscreva na sua categoria, até porque sua participação poderá encorajar mais e mais atletas a competir.

    Imagino, num futuro próximo, as categorias adultas e master cada vez mais competitivas, levando para mais e mais atletas a vontade de competir. A idade não pode ser um fator limitante. O mais importante é treinar, cuidar do corpo e da mente. Sair do treino cansado, mas com a sensação de dever cumprido. Isso não tem idade e é muito recompensador, essa endorfina é excelente. Na minha academia, já vi alunos que se achavam fora da idade de treinar. Vão treinar levados por amigos e quando percebem que tinham uma visão errada, se tornam alunos aplicados, treinam muito, tentando recuperar o tempo parado, e depois de um tempo, percebem a mudança positiva no corpo, no aeróbico e na mente.

    Algumas qualidades o tempo pode ir tirando, como flexibilidade e agilidade, mas a vontade de treinar não se perde com a idade. Creio que o amadurecimento da pessoa até aquece a vontade de treinar mais e mais, pelo bem que a prática do Jiu-Jitsu traz ao corpo e a mente. Alguns até começam a voltar a ter a vontade de competir posteriormente.

    Aceite o desafio e treine. Não pense na sua idade, pense que só de estar treinando você está cuidando da sua saúde, sua qualidade de vida e se tem vontade de competir, creio que deve competir, vencendo barreiras mentais e conceitos culturais, servindo de exemplos para amigos e para os mais jovens, que certamente ao ver você treinando, se incentivam.

    Enquanto o lutador viver em busca de uma evolução técnica, refinamento das posições, tendo prazer em colocar o quimono, não será a idade um oponente, muito menos para competir. A prática do Jiu Jitsu é um caminho que mantém o espírito jovem e o corpo em uma harmonia com a mente. O corpo pode envelhecer, mas o espírito do lutador, não.

    Para mais informações, veja https://www.instagram.com/luizdiasbjj/ ou entre em contato pelo e-mail geracao.artesuave@yahoo.com.br. Também conheça o http://http://gasjj.blogspot.com//. Boa semana, bons treinos e até a próxima!     

    2 COMENTÁRIOS

    1. Comecei após os 30 e não me arrependo, hoje aos 44 continuo treinando regularmente, pelo menos 3 vezes por semana, sem dúvida é uma experiência fantástica.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome