Dillashaw quebra silêncio sobre doping, revela motivo e diz: ‘Trapaceei e fui pego’

    TJ Dillashaw testou positivo em exame antidoping e renunciou ao título peso-galo (Foto Getty Images / UFC)

    Em abril deste ano, o MMA mundial foi pego de surpresa com a notícia da suspensão de dois anos do americano TJ Dillashaw imposta pela USADA (Agência Antidoping dos EUA). Após três meses de silêncio, o ex-campeão peso-galo do UFC, que abriu mão do título, falou pela primeira vez ao podcast “You’re Welcome”, do ex-lutador Chael Sonnen.

    Na última sexta-feira (14), no Bellator 222, TJ esteve presente em Nova York (EUA) para auxiliar seu companheiro de equipe, Juan Archuleta. O ex-campeão disse que foi difícil ter que encarar a imprensa e que se “escondeu” para não conversar com nenhum repórter.

    “Eu me escondi. Eu não fiz nenhuma entrevista. Tinham coisas que eu queria dizer, mas não queria criar desculpas. É a época mais sombria da minha vida e a melhor ao mesmo tempo. Como eu disse, eu tenho um filho de 17 meses e isso é uma grande distração pra mim. Graças a Deus por ele, sabe, porque tem sido difícil para mim, cara”, contou TJ.

    O teste positivo de Dillashaw aconteceu por conta da luta com Henry Cejudo no peso mosca – quando foi nocauteado ainda no primeiro round e não conquistou o objetivo de se tornar campeão duplo do UFC. O lutador afirmou que “trapaceou” ao saber que o seu hematócrito (percentagem de volume ocupada pelos glóbulos vermelhos ou hemácias no volume total de sangue) estava baixo. Por isso, decidiu usar Procrit, mesmo sabendo que era uma substância proibida, de acordo com o quadro da USADA.

    “Eu testo tudo. Eu testo meu cabelo em busca de toxinas, eu testo minha saliva para meus níveis hormonais. Eu quero ser o melhor atleta possível. Testei meu hematócrito e fiquei na casa dos 30, mas normalmente ando com cerca de 45. Eu estava na faixa dos 30 e estava prestes a ficar anêmico”, disse o norte-americano, que seguiu com sua explicação:

    TJ na semana da luta com Cejudo, em um rigoroso corte de peso (Foto Getty Images)

    “Eu decidi pegar algo que eu não tinha permissão para fazer. Chamava-se Procrit, é uma medicação anêmica que não só me ajudaria a ganhar peso, mas também me permitiria ser eu mesmo. Eu não estou bravo porque não acho que eu poderia ter lutado. Vou admitir que trapaceei e fui pego”, revelou TJ, que baixou da divisão até 61kg para 57kg.

    Ao revelar que trapaceou, Dillashaw também deixou claro que, em nenhum momento, quis criar alguma desculpa para o caso. O lutador afirmou que é complicado lidar com a opinião pública: “É difícil, cara. É difícil não se odiar um pouco, você sabe… É difícil”, concluiu.

    1 COMENTÁRIO

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome