Com boas vitórias sobre Donald Cerrone e Stephen Thompson, e ainda invicto em seu cartel no MMA à época, Darren Till impressionava por suas atuações no UFC e não demorou a ser lançado aos “leões” na categoria meio-médio. Após os dois triunfos citados, o inglês disputou o título da categoria meio-médio contra o então campeão Tyron Woodley e acabou sendo finalizado ainda no segundo round, com uma certa facilidade.

Na sequência, lutando em seu país, Till viu Jorge Masvidal calar a torcida inglesa e acabou sendo nocauteado, amargando duas duras derrotas em sequência. Para piorar, tempos depois, foi preso na Espanha por praticar atos de vandalismo com amigos e precisou pagar cerca de R$ 40 mil por conta dos problemas causados.

Vivendo uma má fase dentro do octógono e com o polêmico caso na Espanha, Darren Till ainda não tem uma data e nem adversário definidos para retornar ao cage, entretanto, existe a possibilidade do atleta subir para o peso-médio. Questionado em entrevista à ESPN americana sobre o momento vivido pelo lutador, o presidente do UFC, Dana White, admitiu que, talvez, tenha projetado o inglês ao topo “cedo demais”.

“Acho que ele tem que voltar para a estaca zero. Ele é um jovem rapaz e após a vitória sobre o Cowboy (Donald Cerrone), nós demos uma impulsão para ele, talvez, cedo demais. Acontece às vezes quando um cara tem muita pressão atrás dele e pisa nos freios um pouco. Deixe-o voltar e trabalhar nas coisas em que ele precisa trabalhar”, disse Dana, que ressaltou o momento de “paciência” com Till em uma divisão tão disputada como a dos meio-médios.

“Você vem e derrota um cara como o Cowboy e ‘boom’, você imediatamente vai parar no meio dos tops no ranking e algumas pessoas dizem que é a hora perfeita, outras dizem que é cedo demais. Essa divisão é ‘nojenta’. É como uma fila de assassinos entre os oito primeiros. Então o daremos algum tempo, para ele ir atrás de um próximo oponente e ver o que vem pela frente”, concluiu o mandatário.