Nathiely celebra ouro duplo no Mundial e revela segredo para bons resultados; leia

Publicado em 12/06/2019 por: Nilmon
Nathiely celebra ouro duplo no Mundial e revela segredo para bons resultados; leia

publicidade

Por Vitor Freitas

Nathiely Jesus, de apenas 23 anos, é, hoje, a melhor atleta do Jiu-Jitsu feminino. Campeã peso-pesado e absoluto, a faixa-preta da equipe Rodrigo Pinheiro precisou vencer seis lutas e finalizar cinco para fisgar o duplo ouro no Mundial da International Brazilian Jiu-Jitsu Federation (IBJJF) de 2019, realizado no começo de junho, na Califórnia (EUA).

Para garantir a dobradinha dourada, Nathiely enfrentou na final do peso aberto a casca-grossa Beatriz Mesquita, nove vezes campeã mundial. A seguir, a faixa-preta contou o que fez para anular a perigosa guarda fechada de Bia e derrotá-la na finalíssima.

“Acho que foi uma luta muito dura e eu conheço a Bia desde que eu era faixa-azul. Até hoje ela vem competindo em alto nível, ganhando tudo e achei muito maneira nossa luta. Nós nunca tínhamos lutado antes e eu não sabia como seria. Eu estava pronta para dar o melhor de mim até o final e, graças a Deus, consegui sair com a vitória. Fiquei atenta ao jogo forte dela de guarda fechada e por isso puxei antes. Foi aí que saí na frente do placar”, revelou a campeã, antes de analisar sua campanha geral no torneio.

“Não acho que foi o meu melhor campeonato até hoje, mas a experiência me ajudou muito. Sei que ainda sou nova na faixa-preta, mas eu venho competindo muito e isso me ajuda em vários aspectos. Acho que lutei bem, porém, tive muitos erros e muito aprendizado também. Isso é muito bom. Enfim, acho que lutei muito melhor no segundo dia do que no primeiro. No final, foi muito maneiro esse Mundial”, destacou Nathy.

Praticante de Jiu-Jitsu desde os 13 anos de idade, Nathiely Jesus, dez anos depois, revelou ainda conceitos que a fazem ser uma atleta melhor todos os dias na arte suave.

“Acho que todas as áreas devem estar boas. Quando eu digo isso eu quero dizer o mental, físico e o mais importante para mim, o espiritual. É importante estarmos felizes dentro da academia, isso faz toda a diferença. Quando você está ao lado de pessoas que você gosta e você está feliz fazendo o que você gosta, não tem como dar errado. Para mim, esse é o segredo para ser bem-sucedido”, concluiu a faixa-preta, ouro duplo no Mundial 2019.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade