Ex-campeão do Bellator, Rafael Carvalho muda para a ATT e encara Chidi Njokuani em busca de redenção

    Rafael Carvalho é ex-campeão dos médios e quer voltar a brilhar dentro da categoria (Foto Bellator MMA)

    Pela primeira vez na carreira, Rafael Carvalho sofreu duas derrotas seguidas na carreira. Com o sinal de alerta ligado, o ex-campeão dos médios tem como único objetivo sair com a vitória quando pisar no cage para o Bellator 224, que acontece nesta sexta-feira (12), em Thackerville, Oklahoma (EUA). O carioca terá pela frente o striker Chidi Njokuani, que está subindo de categoria e também vem de derrota. Assim como Rafael, Njokuani tem como ponto forte o seu jogo em pé, mas o brasileiro acredita que, por ser naturalmente mais pesado, terá uma vantagem na trocação contra o adversário norte-americano.

    “Eu sempre espero o melhor dos meus oponentes. Já enfrentei adversários oriundos da trocação, então será bem interessante esse combate. Como estou na minha categoria de origem e ele vem da categoria de baixo, pode ser que tenha uma diferença na questão física em relação a potência dos golpes. Acredito que isso possa ser uma vantagem pra mim. A vitória é o meu único objetivo. Não sei se vem por finalização, nocaute ou decisão dos jurados. O que eu quero é a vitória. Estou em busca desse resultado positivo para a minha reabilitação na organização”, disse Rafael, hoje aos 32 anos de idade.

    O ex-campeão admite que entra pressionado para este combate. Depois de perder o cinturão da categoria para Gegard Mousasi, em maio do ano passado, ele teve uma chance de dar a volta por cima contra o ex-campeão do UFC Lyoto Machida, mas acabou sofrendo um novo revés. Por isso, o objetivo é fazer uma boa apresentação e ter seu braço erguido.

    “Pressão todo mundo que sobe no cage sente. Pois todo mundo sente a pressão por conquistar uma vitória. Existe pressão dos dois lados. Meu adversário também vem de derrota. Na verdade, tudo depende da forma como você encara essa pressão. Eu vou lá para fazer o meu melhor. E, claro, sempre quero a vitória. Vou chegar nessa luta e tentar cometer o menor número de erros possíveis, pois eu acredito que quem errar menos vai sair vencedor deste duelo. Vou em busca de uma grande apresentação para encerrar essa fase de derrotas e retomar o caminho das vitórias no Bellator”, cravou o casca-grossa.

    Para esta luta, o ex-campeão trocou Curitiba, onde treinava na Evolução Thai, pelos EUA, onde passou a treinar na equipe American Top Team (ATT). A mudança para a América era um sonho antigo de Rafael, que foi reforçado após o nascimento do seu primeiro filho.

    “Saí numa boa da Evolução Thai. Conversei com o André Dida, disse a ele que tinha essa vontade de morar e treinar fora do Brasil. Quando apareceu a oportunidade de treinar na ATT, eu não pude desperdiçar. Hoje eu sou pai, então todas as decisões que eu tomo hoje são pensando nele, no bem-estar dele, do meu filho. Então, acredito que na América (Estados Unidos) eu irei conseguir dar uma condição de vida melhor para ele”, concluiu.

    1 COMENTÁRIO

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome