Arena Carioca 1 recebe mais de 400 atletas para a disputa do Campeonato Estadual de Judô; veja como foi

Publicado em 01/07/2019 por: Nilmon
Arena Carioca 1 recebe mais de 400 atletas para a disputa do Campeonato Estadual de Judô; veja como foi

publicidade

Muito Judô esteve nos tatames posicionados na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro, durante o último sábado (29). O Campeonato Estadual, que serviu como terceira etapa do Circuito Estadual 2019, distribuiu pontos para o ranking nacional e contou com alto nível de disputa nas sete áreas de combate distribuídas pelo Time Judô Rio no espaço olímpico.

Com 418 atletas inscritos no Circuito Estadual – Campeonato Estadual –, 285 no masculino e 133 no feminino -, os combates iniciaram ainda pela manhã. Lutas acirradas marcaram a disputa, como o encontro entre Cleyanderson da Silva (Jequiá Iate Clube) e Yuri Gomes (Judô Clube Leonardo Lara), pela categoria até 90kg. Os dois têm brigado ponto a ponto pelo topo do ranking, mas dessa vez foi Cleyanderson quem levou a melhor em ação.

“Meu dia foi sensacional! Conseguir impor o que eu venho treinando nos últimos meses e venci as minhas lutas com certa facilidade. Graças a Deus eu consegui encaixar os golpes logo no começo dos combates e sair com as vitórias. As lutas com o Yuri sempre são muito estratégicas, mas hoje eu consegui acertar um dos meus golpes favoritos, que é o ‘seoi’ invertido. Aí, joguei logo no início”, analisou o novo campeão do Jequiá Iate Clube.

Na sequência, ele valorizou o campeonato. “O Estadual, além de uma competição clássica no Rio de Janeiro, que todo mundo quer lutar e vencer, ainda vale esses pontos para o ranking nacional para disputar uma vaga na seleção. É a segunda competição no ano que rende esses pontos. E eu estou tentando ser o primeiro do ranking nacional neste ano”.

Já pela categoria 73kg, Leonardo de Arruda (Jequiá Iate Clube) colocou um ponto de exclamação na mudança de peso. Recém-subido da divisão meio-leve, Leonardo mostrou presença e, se ainda faltou alguma força para o novo peso, sobrou na técnica.

“Fiz boas lutas. Estou subindo de categoria agora, ainda me adaptando, e acho que as muitas lutas foram muito boas. Mas ainda dá para melhorar bastante. Senti um pouco a força, a luta bem mais parada, mas achei que fui bem. Quer dizer que eu subi bem, não estou fraco ou lutando mal. Subi na hora certa e não só por subir. É para tentar ter uma colocação alta, chegar até uma seleção”, falou Léo, que admitiu surpresa com a vitória.

“Não esperava ganhar, mas esperava chegar bem. Tem gente ranqueada na categoria, acostumada, então foi uma grande surpresa chegar e ganhar assim”, comentou ele.

Estadual contou com disputas no sub-15, sub-18, sub-21, sênior e master (Foto Valter França)

Também estiveram nos tatames os atletas da classe veteranos. Um dos campeões foi Ricardo da Silva Francisco (M3 66kg, Judô Pinheiro). Ele exaltou a preparação dos masters.

“O dia foi maravilhoso, com vitória. Os veteranos estão dando de 10 a 0”, brincou. “Até pela idade, estamos dando a cara, e pela preparação física e manter o corpo em forma também. O nível está bem elevado, tem muito veterano lutando também com sênior”.

Gestor de Eventos e Oficiais Técnicos da FJERJ, Claudio Rodrigues avaliou a competição e a importância da utilização da Arena Carioca 1, uma grande sede olímpica, para o Judô Rio.

“Batemos mais um recorde de inscritos no Estadual. Estamos num crescimento no nosso calendário, continuamos crescendo dentro do Circuito Estadual, e temos a oportunidade de contar com disputas mais acirradas. Tivemos a final entre Cleyanderson e Yuri, uma luta excelente, o que também chama gente atrás deles. A estrutura da Arena é enorme, nossa competição com sete áreas dá bastante trabalho para montar, mas temos uma equipe que trabalha sempre junta. Assim, conseguimos entregar ao nosso público do Judô Rio um trabalho de excelência que estamos buscando”, afirmou Claudio, que complementou.

“O legado olímpico é para ser utilizado e fazemos de tudo para utilizar. A AGLO tem rodado para várias modalidades estarem aqui, o que é muito importante. Aqui tem toda uma estrutura que vai, por exemplo, até o estacionamento. Temos um público rotativo de 2.000 pessoas, ter estacionamento amplo é fundamental para nossa estrutura de competição. Ainda temos o espaço de arquibancada, um bom espaço de alimentação – que criamos também com nossas parcerias – e levamos tudo isso aos atletas e famílias deles”, disse.

Nas classes sub-18 e sub-21, a competição foi de extrema importância: deu números finais à pontuação para o ranking estadual, que define aqueles que lutam o Campeonato Brasileiro. A Cerimônia de Abertura da competição contou com o presidente da FJERJ, Jucinei Costa, o gestor nacional de arbitragem, professor José Pereira, e Gilmar Dias, responsável pela arbitragem na FJERJ. Veja os resultados completos do torneio, aqui.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade