Campeões inéditos e/ou em seu primeiro ano como faixa-preta: reveja alguns destaques do Mundial 2019

Publicado em 09/07/2019 por: Nilmon
Campeões inéditos e/ou em seu primeiro ano como faixa-preta: reveja alguns destaques do Mundial 2019

publicidade

Realizado na Califórnia (EUA), o Mundial de Jiu-Jitsu 2019 da IBJJF terminou há pouco mais de um mês, porém, o principal evento do calendário da arte suave segue dando o que falar. Entre os destaques do campeonato, alguns nomes surpreenderam na faixa-preta.

Foram muitos campeões inéditos, a maioria em seu primeiro ano como faixa-preta, e a TATAME relembrou os integrantes dessa lista que brilharam na Pirâmide de Long Beach.

Confira abaixo:

João Miyao: seguindo os passos do irmão Paulo Miyao, João foi com tudo atrás do seu primeiro título como faixa-preta em 2019. Para conquistar o ouro, o lutador contou com o apoio de toda sua equipe, a Cícero Costha, que fechou o pódio na divisão dos plumas.


-Matheus Gabriel: em uma das categorias mais acirradas, o peso pena conheceu um novo campeão mundial, e logo um estreante na elite do esporte. Em seu primeiro ano como faixa-preta, o lutador da Checkmat fez bonito. Na final, contra a fera Marcio André, Matheus abriu vantagem até encaixar uma bela chave de braço partindo do triângulo.


-Kaynan Duarte: talvez um dos grandes nomes do cenário competitivo atual, Kaynan correspondeu às expectativas. Também em seu primeiro Mundial como faixa-preta, o pupilo de André Galvão deu show no peso pesado e venceu a lenda Leandro Lo na decisão.


-Mayssa Bastos: entre as mulheres, Mayssa foi outra que confirmou seu favoritismo enquanto debutava no Mundial como faixa-preta. Sem sentir pressão, a jovem da GFTeam impôs seu jogo e, na final dos galos, superou a japonesa Rikako Yuasa após luta apertada.


-Tammi Musumeci: irmã do casca-grossa e tricampeão mundial Mickey Musumeci, Tammi adicionou mais um título ao currículo da família. Com um jogo seguro, a norte-americana levou o ouro para casa por 1 a 0 nas vantagens – ataque nas costas – após empate em 0 a 0 nos pontos na final com a brasileira Amanda Ribeiro pela divisão dos plumas.


-Andressa Cintra: se em 2018, quando estreou em Mundiais como faixa-preta, Andressa ficou com o bronze, neste ano não teve jeito. Na final, a atleta da Gracie Barra pegou as costas de Luiza Monteiro, passou o gancho e pressionou até estrangular no meio-pesado.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade