Cigano admite ‘erro crucial’ em revés pra Ngannou e opina: ‘Dei a vitória para ele’

Publicado em 01/07/2019 por: Nilmon
Cigano admite ‘erro crucial’ em revés pra Ngannou e opina: ‘Dei a vitória para ele’

publicidade

Antes vindo de três vitórias consecutivas, Junior Cigano tinha o duelo contra Francis Ngannou, realizado no último sábado (29), pelo UFC Minneapolis, como grande chance de ser o próximo desafiante ao cinturão peso-pesado caso saísse vencedor. No entanto, a dura derrota por nocaute em apenas 71 segundos de luta frustrou totalmente os planos do brasileiro, que agora terá que refazer seu caminho rumo ao topo da categoria.

Em entrevista coletiva logo após o confronto, Cigano admitiu não ter seguido a estratégia traçada com sua equipe à risca e, com isso, deu a vitória de “presente” para o camaronês, conhecido por seu forte poder de nocaute. São dez de 14 triunfos pela via rápida.

“Eu sei que ele tem muita força. Ele acertou o golpe e acabou. Esse esporte é o mais duro do mundo, especialmente no peso pesado. Não posso dizer que a força dele me surpreendeu, e não quero tirar o mérito dele, mas eu dei essa vitória para ele quando joguei aquele overhand e fiquei próximo dele, eu dei a ele a chance de contragolpear por cima do meu soco. É o que ele sempre faz, sempre que você erra um golpe contra ele, ele contragolpeia imediatamente. Foi o mesmo erro que eu cometi na minha última luta contra Derrick Lewis, mas nela eu consegui me recuperar e vencer. E esse cara, quando acerta um golpe, a luta acaba. Não segui o que estava planejado para eu fazer. O plano era me mexer e acertar socos retos para manter a distância, principalmente no começo”, revelou o brasileiro, que ainda comentou sobre o que conversou com Ngannou no cage.

“Ele falou algo sobre o que ele disse antes, sobre família e coisas assim. Ele tentou explicar o que ele disse. Ele é um cara legal, e quando falou coisas idiotas, as provocações, foi porque alguém o mandou falar aquilo. Foi legal da parte dele falar comigo. Francis mereceu essa vitória, é um excelente representante dessa categoria. Um cara grande e muito forte. Ele é um cara que eu adoro ver lutar. Para falar a verdade, mal posso esperar para enfrentá-lo novamente”, destacou Cigano, que por fim, falou sobre seus planos futuros.

“Dou os parabéns ao Francis Ngannou e vou trabalhar muito para enfrentá-lo novamente. Como a derrota não estava nos meus planos, então não sei o que pensar daqui para frente. Mas é muito difícil chegar ao topo dessa categoria e, às vezes, de repente, tudo desaparece da sua frente. Mas eu vou voltar ao topo. Eu sei como fazer, e vou fazer. Meu plano ainda é fazer três lutas no ano. Lutar é uma espécie de remédio para a derrota. Quanto antes eu voltar para casa, pensar no que aconteceu e voltar a treinar, melhor. Foi bom construir meu caminho até uma nova disputa de cinturão, ou mesmo a uma luta de Boxe. Agora só vai levar mais tempo”, encerrou o ex-campeão do Ultimate, hoje aos 35 anos de idade.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade