Em último teste antes do Pan e Mundial, Mayra Aguiar bate japonesa e fatura Grand Prix de Budapeste

Publicado em 16/07/2019 por: Nilmon

publicidade

A judoca brasileira Mayra Aguiar ampliou sua coleção de medalhas no Circuito Mundial da IJF ao conquistar, no último domingo (14), na Hungria, o título do Grand Prix de Budapeste na categoria meio-pesado feminina (78kg). Foi a quinta medalha da brasileira na temporada 2019. Contando ainda o ouro de Rafaela Silva e as pratas de Ketleyn Quadros (63kg) e João Macedo (81kg), o Brasil fechou o torneio em segundo lugar no quadro geral de medalhas, perdendo apenas para o Japão, que teve cinco ouros e três pratas.

Além das medalhas, o país ainda teve os quintos lugares de Eleudis Valentim (52kg), Maria Portela (70kg) e Beatriz Souza (+78kg), e os sétimos de Larissa Pimenta (52kg) e Maria Suelen Altheman (+78kg). Ou seja, todas as judocas convocadas para o Mundial chegaram ao bloco final de disputas por medalhas do Grand Prix de Budapeste. O evento encerrou as ações internacionais de preparação da equipe planejadas pela CBJ em parceria com o COB.

Mayra em casa em Budapeste

De volta ao palco onde sagrou-se bicampeã mundial em 2017, Mayra mostrou que realmente se sente em casa na capital húngara e não deu chances às adversárias. “Foi um dia maravilhoso. Relembrei o Mundial de 2017, saindo, mais uma vez, com o ouro. Então, é um gostinho muito especial mesmo”, comemorou a gaúcha após mais uma conquista.

Na estreia, ela derrotou Fei Chen, da China, com um waza-ari e foi soberana diante da jovem Patrícia Sampaio, de Portugal, vencendo-a por ippon nas quartas. A semifinal foi uma prévia do que Mayra pode esperar nos Jogos Pan-Americanos de Lima, já que enfrentou a cubana Kaliema Antomarchi, sua principal adversária nos últimos anos desde que a americana Kayla Harrison pendurou o quimono e passou a se dedicar ao MMA.

Sem maiores ameaças, Mayra entrou agressiva e liquidou o duelo com um ippon para encontrar, na final, a japonesa Ruika Sato, número 7 do mundo. Paciente e atenta, a brasileira preferiu não se expor e apostou na tática para dominar a pegada. Antecipou ataques e forçou três punições por passividade para vencer mais um duelo contra a japonesa. Completaram o pódio a cubana Antomarchi e a britânica Natalie Powell, bronzes.

“Enfrentei adversárias duríssimas, possíveis adversárias tanto nos Jogos Pan-Americanos, quanto no Mundial. Por isso, eu já entrei nessa competição sabendo que seria um ótimo treinamento também para as duas principais competições do ano. Estou saindo daqui super feliz, empolgada e com muita vontade de seguir vencendo”, analisou Mayra ao final do dia.

Budapeste foi sua última competição antes do Pan e do Mundial. Em Lima, Mayra lutará no dia 11 de agosto e, em seguida, embarcará para o Japão com a seleção para lutar o Campeonato Mundial de Tóquio, no dia 31 de agosto. Dois dos principais eventos do ano.

A seleção brasileira de Judô retornou ao Brasil na segunda-feira (15) e se apresenta em São Paulo para dois dias de concentração onde se reunirão com toda a comissão técnica para os ajustes finais antes de Lima e Tóquio. No dia 6 de agosto, a equipe partirá para Lima e, no dia 12 de agosto, para a aclimatação em Hamamatsu, no Japão, até o Mundial.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade