Rodolfo revela ‘surpresa’ com ligação do UFC e cita ‘pressão’ após brilhar no Jiu-Jitsu; confira

    Rodolfo Vieira falou sobre o plano de estar dentro do Ultimate em breve (Foto: Lucas Pacheco)
    Astro do Jiu-Jitsu, Rodolfo Vieira vai para a sua sexta luta no MMA profissional (Foto Lucas Pacheco)

    Por Diogo Santarém

    Depois de brilhar no Jiu-Jitsu e iniciar de maneira invicta sua trajetória no MMA, com cinco triunfos em cinco lutas, chegou a hora de Rodolfo Vieira dar voos maiores no esporte. Por isso, o faixa-preta brasileiro assinou com o UFC e, no próximo sábado (10), fará sua estreia na organização diante do polonês Oskar Piechota, em card que acontece no Uruguai.

    Em entrevista à TATAME, Rodolfo Vieira revelou que ficou surpreso com o telefonema do Ultimate. Porém, sem esconder a felicidade com o momento único para ele, abraçou a chance e espera representar bem o Jiu-Jitsu na maior organização de MMA do mundo.

    “Fiquei feliz pra caramba. Muito surpreso, porque achei que eu teria que fazer mais uma luta antes, mas feliz. Na hora eu fiquei congelado, não acreditei quando meu empresário me falou: ‘Chegou a hora, é o UFC, vai ou não vai?’. Mas estou muito feliz com a oportunidade. É claro (que existe uma pressão a mais sobre mim). É diferente quando o Rodolfo está entrando no MMA, iniciando a carreira, e um cara desconhecido está começando. O cara pode fazer a luta dele tranquilo, sem pressão nenhuma, não tem muita gente olhando. Comigo, não. Desde o início já tinha muita gente na expectativa pelas minhas lutas, e eu sabia disso. É difícil até falar, porque tem os prós e os contras. O contra é essa pressão, as pessoas querendo que eu seja no MMA o que fui no Jiu-Jitsu o mais rápido possível, e o pró é que cheguei no UFC rápido por causa dos meus títulos”, opinou.

    Cinco vezes campeão mundial de Jiu-Jitsu e campeão do ADCC – maior torneio de luta agarrada do mundo -, Rodolfo enfrentou os melhores no tatame. Nas artes marciais mistas, entretanto, o maior triunfo veio em sua luta mais recente, em junho passado, quando finalizou o até então invicto Vitaliy Nemchinov – o ucraniano vinha de dez vitórias – com um mata-leão no primeiro round do ACA 96. O faixa-preta sabe que as diferenças entre os dois esportes são grandes, e por isso projeta um passo de cada vez na nova caminhada.

    “Os atletas contra quem eu lutei, todos, se você for ver, não peguei nenhum cara ruim. Eu tive títulos grandes no Jiu-Jitsu, mas no MMA sou um iniciante. A questão é que está todo mundo de olho em mim porque eu sou um cara conhecido no meu meio, mas se for ver outros caras que chegaram no UFC com um cartel bom, pegaram adversários piores, com cartel negativo. Eu não, todos os caras que eu lutei tinham mais vitórias que derrotas”.


    Bastante animado para sua estreia, Rodolfo ainda garantiu que os treinos estão em dia. Com muito para mostrar, segundo o próprio afirmou, ele também aposta na força dos fãs para debutar com um grande triunfo contra o polonês Oskar Piechota no UFC Uruguai.

    “Eu estava treinando forte desde dezembro. Eu não consegui mostrar 10, 20% do que eu estava treinando na minha última luta. Eu estava fazendo cinco rounds de cinco minutos e depois Jiu-Jitsu, e vou continuar fazendo a mesma coisa, treinando duro. Estou com um lastro bom do último treino e é manter isso aí, continuar melhorando”, disse, encerrando:

    “Eu fico feliz pra caramba, muito mesmo, de ver esse batalhão de fãs do Jiu-Jitsu atrás de mim, me apoiando. Isso me dá muita força. Eu sei que esses aí vão estar comigo eu perdendo ou ganhando. Eu sentia isso no Jiu-Jitsu quando perdia… Era derrotado pelo Buchecha, mas recebia o mesmo carinho. Todas as vezes a mesma coisa, muito suporte, apoio. É bom saber disso, que tem pessoas boas, oriundas da mesma arte que você, te apoiando. Me dá uma alegria muito grande representar o Jiu-Jitsu e vou dar meu melhor”.

    CARD COMPLETO:

    UFC Fight Night 156
    Antel Arena, em Montevidéu (URU)
    Sábado, 10 de agosto de 2019

    Card principal
    Peso-mosca: Valentina Shevchenko x Liz Carmouche
    Peso-meio-médio: Vicente Luque x Mike Perry
    Peso-pena: Luiz Eduardo Garagorri x Humberto Bandenay
    Peso-meio-pesado: Volkan Oezdemir x Ilir Latifi
    Peso-médio: Rodolfo Vieira x Oskar Piechota
    Peso-pena: Enrique Barzola x Bobby Mofett

    Card preliminar
    Peso-meio-médio: Gilbert Durinho x Alexey Kunchenko
    Peso-pesado: Ciryl Gané x Raphael Bebezão
    Peso-palha: Tecia Torres x Marina Rodriguez
    Peso-mosca: Rogério Bontorin x Raulian Paiva
    Peso-galo: Geraldo de Freitas x Chris Gutierrez
    Peso-leve: Rodrigo Kazula x Alex Leko
    Peso-mosca: Veronica Macedo x Polyana Viana

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome