Após período nos EAU, Bruno Martins retorna para o interior de São Paulo com projetos para o Jiu-Jitsu; saiba mais

Publicado em 21/08/2019 por: Nilmon
Após período nos EAU, Bruno Martins retorna para o interior de São Paulo com projetos para o Jiu-Jitsu; saiba mais

publicidade

O atleta e professor Bruno Martins, nascido em Itu (SP), teve o Jiu-Jitsu presente em sua vida já bem cedo, quando começou a treinar aos 12 anos de idade com o professor Robert Drysdale. Desde então, tomado pelo gosto da competição, manteve um bom ritmo de treinos e, aos 15 anos, começou a dar aula em um projeto social que era coordenado por seu professor na época.

Depois que Robert Drysdale foi para os Estados Unidos abrir sua academia e viver por lá, Bruno passou a treinar com o amigo e também parceiro de treinos, Juninho Crivelari, em Jundiaí (SP), onde após o rompimento da equipe Brasa, foram representar a Checkmat.

Ainda na faixa-marrom, Bruno teve uma temporada de treinos intensos em Santos e por quase um ano dividiu o tatame diariamente com nomes como Rodrigo Cavaca, Marcus Buchecha, Michelle Nicolini, Renato Cardoso, Gabriel Rollo, Nivaldo Oliveira, entre outros.

No ano seguinte, com os laços cada vez mais fortalecidos com seu professor em Jundiaí, Bruno decidiu abrir sua própria academia tendo incentivo e apoio do próprio professor e de sua amiga de tatame, a casca-grossa Michelle Nicolini. Nascia assim a Checkmat – renomada equipe brasileira – em Itu.

Experiência nos Emirados Árabes

Em 2014, Bruno teve a oportunidade de ir para os Emirados Árabes Unidos, onde trabalhou na escola Al Tafawoq como professor de Jiu-Jitsu, quando ajudou a desenvolver com outros professores uma metodologia de ensino voltada para iniciantes e competidores locais na arte suave.

Os resultados positivos vieram já no primeiro ano, quando eles fizeram muitos medalhistas nas principais competições do país e tiveram a honra maior da cultura árabe, que é conhecer o Sheik no Palácio. A equipe ficou em primeiro lugar na classificação por escolas durante quatro anos consecutivos no torneio nacional. Já no seu quinto ano de Emirados, Bruno encerrou suas atividades no país e retornou ao Brasil.

Após retornar para Itu, em São Paulo, Bruno tem em mente desenvolver um projeto de Jiu Jitsu em escolas particulares como uma atividade extra curricular para os alunos, já que no Brasil modalidades como artes marciais não estão incluídas no ensino público a nível nacional. O casca-grossa também está dando aulas na academia Unyque Gym Club com turmas de iniciante, intermediário, avançado e também com aulas para uma turma feminina. Outro foco do faixa-preta são as competições de Jiu-Jitsu no Brasil e no exterior.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade