Com moral, John Allan desafia Walker após estreia vitoriosa no UFC: ‘Vamos lá’

Publicado em 02/08/2019 por: Nilmon

publicidade

Por Diogo Santarém

Se estrear no UFC já não fosse um desafio grande o suficiente, imagine fazê-lo com apenas duas semanas de treinamento e ainda vencer um rival mais experiente. Pois bem, John Allan conseguiu realizar tal façanha. Após assinar com a organização em 30 de junho, o meio-pesado brasileiro entrou em ação no dia 13 de julho, pelo UFC Sacramento, e superou Mike Rodriguez por decisão unânime dos jurados.

O triunfo deu moral para John, que apesar da mudança repentina em sua carreira, sabe bem o que quer. Em entrevista à TATAME, o lutador da Chute Boxe analisou sua estreia na maior organização de MMA do mundo e fez um desafio ousado.

“Dos sonhos que eu ainda não havia realizado como atleta, um eu já realizei, que era lutar no UFC, e o outro é lutar pelo UFC no Brasil. Vai ter um card em novembro, em São Paulo, e eu já pedi para lutar. Seria a realização de mais um sonho. (Sobre o adversário) tem um cara que já era para termos lutado duas vezes no Brasil, não rolou, mas agora estou no UFC e não tem para onde ele correr. Johnny Walker, estou aí. Vamos lutar”, disse para o compatriota, atualmente 12º colocado no ranking dos meio-pesados e sensação da divisão, com três vitórias seguidas por nocaute no primeiro round.

Independente de ter seus pedidos atendidos ou não, a prioridade de Allan é retornar o mais rápido possível ao octógono: “Eles me elogiaram bastante pela luta, me deram os parabéns, disseram que eu fui muito bem, e isso já está de bom tamanho. Mas acho sim, que ganhei uma moral com eles. Eu aceitei a luta com pouco tempo contra um cara duríssimo, subi, fiz um bom show, venci e é isso que eles querem ver. Agora estou louco para lutar de novo, o mais rápido possível. Quero crescer dentro do evento, não vim aqui a passeio. Quero deixar meu nome marcado no UFC”, garantiu.

Natural de Curitiba, no Paraná, o lutador de 26 anos disse que vive uma fase especial na carreira e espera prolongá-la: “Estou me sentindo muito feliz. Era uma oportunidade que eu sempre esperei receber. Tenho alguns sonhos como atleta, já tinha conquistado muitos, e essa estreia com vitória me colocou em um patamar acima do que eu estava. To muito feliz com o reconhecimento e o resultado, agora é seguir crescendo”.

Confira outros trechos da entrevista com John Allan:

-Ansiedade por estreia de última hora

Não estava nem um pouco ansioso. Tudo aconteceu muito rápido. Eu lutei no Future MMA no dia 28 de junho, no dia 29 apareceu a oportunidade de lutar no UFC, dia 30 assinei o contrato e no dia 1° eu já estava na Califórnia (EUA), indo lutar duas semanas depois. Então foi meio loucura, mas eu sabia que era só mais uma luta. Era subir no octógono e sair na porrada com outro cara, e eu estava com muita vontade de vencer.

-Domínio sobre o jogo do Mike Rodriguez

Ele é dono de uma das maiores envergaduras do UFC, então sabia que ia precisar fazer um jogo mais colado, não desperdiçar muito golpe. Eu tentei me movimentar bastante e sabia que, se minha mão entrasse, ele ia sentir. Fui machucando, ele foi ficando frustado e acabou entrando na minha distância, e isso fez toda a diferença. Mesmo ele tendo uma envergadura maior, eu consegui controlar a distância. Eu tenho um estilo muito agressivo, então aonde dá eu vou bater, e isso também ajuda a controlar a luta, diminuir o ímpeto do seu adversário.

-Pouco tempo de preparação para luta

Eu havia lutado duas semanas antes, então nem teve muita preparação. Só diminui um pouco a intensidade dos treinos pra me recuperar e mantive a estratégia, pois eu havia lutado com um cara com um jogo parecido com o dele. Nem deu tempo de estudar nada muito diferente não (risos).

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade