Dana abre o jogo sobre relação com Cris e diz: ‘Lidar com ela era um pesadelo’

Publicado em 07/08/2019 por: Nilmon

publicidade

A relação entre Cris Cyborg e Dana White nunca foi das melhores e quem acompanha os bastidores do MMA está ciente disso. No entanto, poucos dias depois de anunciar que liberou a brasileira de seu contrato com o UFC, o presidente da organização deu mais detalhes do conturbado relacionamento com a ex-campeã peso-pena nos últimos anos.

Em conversa com jornalistas durante o episódio da última terça-feira (6) do reality show “Contender Series”, onde é responsável por garimpar novos lutadores para o Ultimate, Dana foi perguntado sobre Cris e assegurou não se arrepender de ter liberado Cyborg. A brasileira ainda teria um período exclusivo de negociações com a franquia após a última luta de seu contrato, onde derrotou Felicia Spencer no UFC 240, no último dia 27.

“Não, eu não faria nada diferente. Uma coisa que eu estou feliz por ter feito é que a pressionei a lutar com a Amanda Nunes, porque a Cyborg não queria essa luta nem na primeira vez, que dirá na segunda vez, e eu disse isso na entrevista. Cyborg queria a Cindy Dandois ou a Pam Sorenson. Essas são as lutas que ela queria e pelas quais ela estava recusando enfrentar a Amanda Nunes. E eu disse: ‘Isso não vai acontecer’. E aí nós continuamos pressionando e pressionando e, finalmente, ela aceitou enfrentar a Amanda. Estou feliz que eu fiz isso, mas fora isso, eu não teria feito nada diferente nos últimos cinco anos com a Cyborg”, disse Dana White, de acordo com transcrição do site MMA Junkie.

“Lidar com a Cyborg tem sido uma experiência ruim desde o primeiro dia. Nós a trouxemos para o UFC mesmo depois dela ter testado positivo para esteroides, nós a transformamos em uma atleta limpa com a melhor política antidoping de todos os esportes durante todo o tempo que ela esteve aqui. Quando ela fala sobre o legado dela e a sua marca, nada é melhor para o legado e para a marca da Cyborg do que ela ser reconhecida como uma atleta limpa depois de testar positivo para esteroides e todas as coisas negativas que falavam sobre ela, de que ela era uma atleta suja. Nós a trouxemos, fizemos tudo isso e ela nunca ficou feliz, sempre reclamava de tudo. Foi um pesadelo lidar com ela, e no final das contas ela sabe, eu sei, a Amanda Nunes sabe que eu tentei fazer a revanche dela com a Amanda. A Cyborg não quer essa luta. E ela fica brava comigo quando eu digo que não a culpo. Não a culpo, ok? Se fosse a Amanda Nunes no lugar da Felicia Spencer, eu acho que todo mundo vai concordar em como aquela luta teria acabado. Ela não está feliz, nós não estávamos felizes, ela mentiu e colocou aquele vídeo no ar… E foi. Tenha uma ótima vida”.

O mandatário ainda relembrou o episódio em que Cris Cyborg divulgou um vídeo onde “confronta” Dana após o UFC 240. Dias depois, a lutadora pediu desculpas ao presidente do Ultimate e revelou que sua equipe “adulterou” algumas falas, gerando irritação de White.

“Eu não acho que nós conseguiremos ficar em paz, sabe? Você pode gostar ou não de mim, qualquer que seja a sua opinião a meu respeito, não importa, o que ela fez foi sujo. Foi sujo o que ela fez com o vídeo, colocando coisas que eu não falei, enquanto saía por aí dizendo que eu tinha que pedir desculpas pra ela… No fim, foi ela quem pediu desculpas para mim, porque o que ela fez foi uma das coisas mais sujas que já vi. Deve ter sido muito difícil pra ela ter que me pedir desculpas, mas muito mesmo. O que ela fez foi uma das coisas mais sujas que você pode fazer e é por isso que ela pediu desculpas”, finalizou.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade