Coluna da Arte Suave: as dificuldades em saber lidar com a derrota e os aprendizados necessários; confira

Publicado em 11/09/2019 por: Mateus Machado
Coluna da Arte Suave: as dificuldades em saber lidar com a derrota e os aprendizados necessários; confira Em seu novo artigo, o professor Luiz Dias falou sobre a questão da derrota (Foto: Reprodução)

publicidade

* Perder sempre é difícil. No meu entender, sempre treino querendo finalizar. Mesmo num treino entre amigos, tomar uma finalização realmente não gosto.  Eu fico pensando onde errei ou o que eu poderia ter feito. Penso sempre na luta perdida para tirar uma lição, uma observação do que eu devo corrigir e melhorar. Pode ser parte técnica ou melhora do aeróbico e até de ambas se for o caso. 

Nesta semana, treinando com um faixa marrom meu, o Breno encaixou um armlock onde não consegui sair, acabei tendo que dar os três tapinhas. Como professor, fico feliz, afinal, como professor, espero que todos os meus alunos evoluam, e consequentemente acabem me superando. E torço que se tornem melhores do que eu. Fiquei depois pensando na luta, fico feliz por um lado, quando isso acontece, afinal, diferença de peso, força física e idade acabam influenciando, mas em nenhum momento isso desmerece seu mérito de ter me vencido. Usou as técnicas certas e levou o meu braço. Sinal do seu progresso técnico.  

Em casa, após uns dias, recebi um telefonema de um amigo dizendo que tinha perdido uma luta. Julgava-se prejudicado pela arbitragem em determinado campeonato, culpava o árbitro pela sua derrota. Ele não admitia ter perdido. Enfim, tirando algum possível erro de arbitragem (errar é humano, árbitros podem errar também, sem segundas intenções, e não necessariamente estarem prejudicando alguém intencionalmente em prol de outro). Toda luta de campeonato ou treino na academia, uma coisa é certa: um lutador irá ganhar e o outro perder. Parece claro, mas muitos se esquecem disso. E muitas vezes na derrota podemos tirar lições importantes. Descobrir onde errou na luta. Não teve estratégia? E se o outro atleta foi melhor em algum fator ou em vários fatores?  

Uma derrota pode apontar a sua parte fraca e a partir do reconhecimento do seu ponto fraco, você pode trabalhar e melhorar até mesmo ao ponto de tornar a sua qualidade mais forte. Perder é ruim, mas não saber por que perdeu é pior ainda! Depois que a adrenalina sair do sangue, mentalmente, tente relembrar a luta inteira ou veja a luta se alguém filmou. Relembre seus movimentos e do seu adversário. Os movimentos certos devem ser desenvolvidos e os errados devem ser corrigidos, estudados, para não se repetirem e os movimentos “não feitos” devem ser muito estudados, porque esses momentos é que muitas vezes permitem a vitória do oponente. 

Acredito que se o lutador pensar corretamente, ele nunca verá uma derrota como uma perda total, ou um episódio que deve ser esquecido rapidamente, ele sempre conseguirá tirar lições para lutas futuras e certamente será recompensado com vitórias. A vitória sempre está no objetivo de todo lutador em qualquer luta, mas temos que saber merecê-la.

Para mais informações, veja https://www.instagram.com/luizdiasbjj/ ou entre em contato pelo e-mail geracao.artesuave@yahoo.com.br. Também conheça o http://www.geracaoartesuave.com.br/. Oss!

* Por Luiz Dias

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade