Estrela da faixa-marrom vence oito lutas em Dallas e vai empolgado para o Pan No-Gi, neste sábado (14); confira

Publicado em 14/09/2019 por: Mateus Machado
Estrela da faixa-marrom vence oito lutas em Dallas e vai empolgado para o Pan No-Gi, neste sábado (14); confira Roosevelt Sousa deu show na disputa do Dallas Open, organizado pela IBJJF (Foto: Divulgação)

publicidade

O paraibano Roosevelt Sousa, 26 anos, está fazendo barulho no cenário competitivo do Jiu-Jitsu. O faixa-marrom, que treina sob a tutela de Roberto “Cyborg” Abreu, é a mais nova joia da faixa-marrom e tem feito jus a esse status.

No último fim de semana, em Dallas, no Texas (EUA), o jovem competidor venceu oito lutas entre as disputas com e sem quimono do Dallas Open, torneio organizado pela IBJJF. Primeiro, Roosevelt venceu peso e absoluto de quimono, onde venceu Diego Almeida e Carlos Souza nas duas finais, respectivamente. Depois, ele ainda dominou sua bateria na disputa sem quimono, onde novamente foi superior a Diego.

Como Roosevelt revela, ele usou a tática de trocar pegadas em pé para desenvolver seu jogo. A boa estratégia lhe rendeu três medalhas de ouro em um fim de semana.

“Fiz cinco lutas de quimono e três sem quimono, venci a maioria nos pontos. Me senti bem mais seguro lutando na em pé, consegui desenvolver meu jogo tanto por cima quanto por baixo. Também pude identificar alguns erros e isso é muito importante para que possa evoluir nas próximas competições. Vencer esse torneio foi importante para mim, pois eu confiei no meu treinamento e na minha capacidade. Venci meu próprio duelo mental”, explica o campeão.

A próxima missão do atleta é neste sábado (14), onde disputa seu primeiro Pan-Americano No-Gi, também organizado pela IBJJF, em Nova York, nos Estados Unidos.

“Vou lutar na divisão pesadíssimo, que tem cinco atletas, contando comigo. Será a primeira vez que irei lutar esse evento e estou muito animado, porque tenho me preparado muito pra isso”, projeta Roosevelt, peça importante no camp de Roberto Cyborg para o ADCC, que ainda conta com Mahamed Aly, Patrick Gaudio e outras feras.

O faixa-marrom ainda destaca a principal lição que recebeu do professor Cyborg. As dicas de como treinar melhor e fortalecer a mente tem surgido efeito nas competições.

“Ele me ajudou muito em como lidar com meu psicológico, minha parte mental pré competição. Com os treinos com o Cyborg, tenho evoluído muito meu Wrestling e minhas habilidades sem quimono. Estou amando o processo”, encerrou.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade