Lutadores de MMA usam tecnologia para aprimorar treinos por meio de data analytics e big data; entenda

Publicado em 14/09/2019 por: Mateus Machado
Lutadores de MMA usam tecnologia para aprimorar treinos por meio de data analytics e big data; entenda Allen Crowder, lutador do UFC, treina utilizando a tecnologia ao seu favor (Foto: Divulgação)

publicidade

Receber em tempo real os dados dos sinais dos músculos para entender a intensidade, velocidade e o ponto de fadiga de um atleta de MMA. Por meio de data analytics e big data, lutadores vem usando a tecnologia e a ciência para melhorar seus treinos e, consequentemente, seus desempenhos nos combates. Um deles é o americano Allen Crowder, lutador profissional de MMA e integrante do plantel do UFC.

Durante um congresso de inovação e transformação digital em Chicago, nos Estados Unidos, Jesse Rey, seu treinador, mostrou ao público como isso é possível, que pôde acompanhar em tempo real os gráficos de desempenho do corpo do atleta. Sensores foram colocados no corpo de Crowder – dois nos deltóides e dois nas pernas. À medida em que o lutador desferia seus golpes, o público e o treinador acompanhavam os dados da ativação muscular e da fadiga do lutador.

Por meio de softwares da TIBCO, o treinador Jesse Rey foi capaz de interpretar dados sobre a frequência cardíaca, número de golpes e nível de oxigênio, por exemplo.

Dados em combate

Com a tecnologia de data analytics tendo o corpo dos lutadores como fonte de dados, os treinadores conseguem otimizar a intensidade dos treinos, facilitando a recuperação dos músculos e contribuindo para a evolução dos desempenhos e os limites de cada corpo.

Sob essa perspectiva, os dados se tornam aliados importantes para que os treinadores consigam entender como o corpo dos atletas respondem aos treinamentos, garantindo que não sejam sobrecarregados. No entanto, isso não é uma ciência exata, já que há outros fatores que também entram em jogo, como o ritmo cardíaco e o nível de resistência de cada atleta.

No caso do lutador de MMA Allen Crowder, a demonstração feita em Chicago revelou que seu desempenho é melhor se o lutador conseguir manter sua frequência cardíaca em até 155bpm, já que seu corpo começa a entrar em colapso com 160bpm.

Como nenhum treinador quer que o lutador suba no ringue de combate sem que esteja em seu melhor nível, as informações geradas pelo data analytics e big data podem ajudar na preparação para os combates e garantir que o atleta permaneça em sua melhor forma durante o maior tempo possível.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade