Com ‘maior contrato da história do MMA feminino’, Cris Cyborg é anunciada pelo Bellator; entenda

Publicado em 04/09/2019 por: Mateus Machado
Com ‘maior contrato da história do MMA feminino’, Cris Cyborg é anunciada pelo Bellator; entenda Cris Cyborg foi anunciada pelo Bellator na última terça-feira (Foto reprodução Instagram)

publicidade

Ex-campeã peso-pena do Strikeforce, Invicta FC e UFC, Cris Cyborg, enfim, definiu seu futuro no MMA. Após semanas de intensas negociações, a brasileira foi anunciada na última terça-feira (3) como nova contratada do Bellator. A confirmação veio através de uma publicação de Scott Coker, presidente da organização, afirmando que se trata do “maior contrato da história do MMA feminino”.

Além da postagem, o dirigente divulgou um vídeo onde Cris Cyborg, falando em inglês, não esconde sua alegria em voltar a trabalhar com Coker, o que já aconteceu na época do extinto Strikeforce. A curitibana também ressaltou que pretende, finalmente, fazer “muitas lutas por ano”

“Estou muito empolgada de anunciar a parceria com Scott Coker e Viacom para lutar no Bellator. Vocês sabem que têm muitas garotas que eu quero lutar no peso pena e isso significa ter muitas lutas por ano. Estou muito feliz por isso”, disse a experiente lutadora.

Ainda segundo Coker, a estreia de Cyborg na nova casa deve ser em disputa pelo cinturão dos penas contra a atual campeã Julia Budd. As duas, inclusive, já falaram sobre um possível duelo. “Ela (Cyborg) definitivamente merece. Estava lutando uma vez por ano, e é disso que ela estava reclamando. Com certeza podemos colocá-la no cage duas ou três vezes por ano”, projetou o presidente ao site MMA Junkie.

Aos 34 anos, Cyborg possui um cartel de 21 vitórias e duas derrotas no MMA profissional. Sua saída do UFC aconteceu de forma conturbada, após seu contrato chegar ao fim e a organização não renovar durante o período de exclusividade para negociações, liberando a brasileira – ex-campeã peso-pena – imediatamente. Ao longo dos últimos anos, esteve cada vez mais evidente também o difícil relacionamento entre Cyborg e Dana White, presidente do Ultimate, o que dificultou na continuidade da atleta na franquia.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade