Praticantes ressaltam importância do inglês para quem quer trabalhar com o Jiu-Jitsu fora do Brasil; saiba mais

Publicado em 23/09/2019 por: Diogo Santarém
Praticantes ressaltam importância do inglês para quem quer trabalhar com o Jiu-Jitsu fora do Brasil; saiba mais Aprender inglês é essencial para quem quer trabalhar fora do Brasil (Foto divulgação)

publicidade

Os professores de Jiu-Jitsu brasileiros são considerados os melhores mundo afora, mas a falta de incentivos, de patrocinadores interessados e de apoio do governo faz com que viver da profissão no país não seja uma tarefa fácil. É por isso que muitos acabam por mantê-la apenas como uma atividade paralela ou encontram no exterior melhores oportunidades para seguir no esporte.

Os países que mais recebem professores brasileiros são os Emirados Árabes e os Estados Unidos. Na capital dos Emirados, Abu Dhabi, uma das cidades de maior referência para o Jiu-Jitsu no mundo atualmente, os salários podem chegar a até 4 mil dólares americanos e incluir uma série de benefícios como plano de saúde, férias e até mesmo apartamentos mobiliados para o professor e sua família.

Para aproveitar estas alternativas fora do país, no entanto, a maioria dos professores encontra um grande empecilho compartilhado por 97% dos brasileiros: o inglês, essencial para a conquista das vagas oferecidas. Foi pensando nisso que Rodrigo Buccolo, CEO da Best View Inglês e também lutador, desenvolveu o Black Belt Communication, o primeiro curso voltado exclusivamente para praticantes do esporte e que inclui todo vocabulário específico da área como golpes, partes do corpo humano, posições de luta e expressões gerais.

Atualmente, menos de 3% da população domina a língua inglesa, de acordo com pesquisa realizada pelo site de busca de empregos Catho. O Brasil é atualmente o 41º colocado em um ranking de 70 países desenvolvido pela EF (Education First), que avaliou a proficiência de quase 1 milhão de pessoas pelo mundo.

Segundo Buccolo, em apenas dois meses é possível que os estudantes do curso fujam dessas estatísticas e já sejam capazes de ministrar aulas, lidar com situações do cotidiano e conquistar sonhos fora do Brasil. A rapidez deve-se às técnicas pedagógicas utilizadas no desenvolvimento do curso e também ao fato de que as aulas são ministradas por praticantes do esporte, que sabem identificar as necessidades específicas.

Matheus Moraes, aluno do curso e lutador do Campeonato Mundial de Jiu Jitsu, reconhece a importância em saber falar inglês. “O idioma é o segredo para quem quer ir longe e a Best View oferece uma ótima base para os praticantes”, afirmou. “O aprendizado é dividido em módulos, sempre voltados à aplicação do conteúdo em situações práticas dentro do tatame e também no dia a dia. As aulas podem também ser adquiridas em uma plataforma online, facilitando ainda mais o acesso ao ensino personalizado”, completou.

“As oportunidades no exterior são enormes  e valorizam o trabalho do profissional. Para não perdê-las, é necessário dominar o idioma. Ser campeão no inglês é tão importante quanto no tatame” finalizou Buccolo.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade