Wrestling brasileiro viaja para disputar Mundial no Cazaquistão e primeiras vagas nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Publicado em 03/09/2019 por: Diogo Santarém
Wrestling brasileiro viaja para disputar Mundial no Cazaquistão e primeiras vagas nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 Giullia busca posição durante luta: atleta chega como nome forte do Brasil (Foto Alexandre Loureiro / COB)

publicidade

O Wrestling brasileiro viajou na última segunda-feira (2) para Nur Sultan, capital do Cazaquistão e sede do Campeonato Mundial de Wrestling 2019, que acontece de 14 a 22 de setembro. O torneio conta com 30 categorias e classifica os cinco primeiros colocados das 18 divisões olímpicas nos três estilos da modalidade (greco-romano, Wrestling feminino e estilo livre) para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. O Brasil será representado por seis atletas nesta edição. No estilo greco-romano lutam Marat Garipov até 60kg e Sargis Khachatryan até 55kg. No Wrestling feminino sobem ao tapete Kamila Barbosa até 50kg, Giullia Penalber até 57kg, Aline Silva até 76kg e Lais Nunes até 62kg. Lais, por sinal, é a atual número 2 do ranking mundial e uma das cabeças de chave do torneio.

“Conquistar a vaga para Tóquio 2020 logo na primeira oportunidade mudaria a preparação e o foco para os Jogos. Cheguei perto da medalha mundial em 2018, mas cada competição é uma competição. Estou tranquila, treinando duro e vou procurar fazer o melhor dentro do tapete e representar bem o Brasil no Mundial”, afirmou Lais, bronze nos últimos Jogos Pan-Americanos e quinta no Mundial 2018.

Giullia Penalber, também terceira colocada nos Jogos Pan-Americanos de Lima, ressaltou a importância da participação no camp de treinamento internacional em sua preparação. A United World Wrestling (UWW), entidade máxima do esporte, promove um camp mundial na semana que antecede o torneio.

“O camp antes do torneio será uma das etapas principais da preparação para o Campeonato Mundial deste ano. Além da aclimatação e de acertar detalhes finais que decidem combates, ter a oportunidade de treinar com atletas de várias partes do mundo e diferentes estilos no mesmo espaço é sempre importante. Estou tranquila, confiante e treinando bastante em busca dessa vaga olímpica”, afirmou Giullia, de 26 anos.

A delegação brasileira segue de diferentes partes do mundo e se reúne somente no Cazaquistão. Além de Giullia e Lais, os treinadores cubanos da seleção Nisdany Perez e Angel Torres viajam nesta terça-feira (3). Kamila Barbosa, atual 19ª do mundo pega o voo na quarta-feira. Aline Silva realiza a fase final de preparação para o Mundial no Canadá e segue para capital cazaque no dia 15. Sargis Khachatryan treina na Armênia e de lá segue para o Mundial. Marat Garipov, que nasceu no Cazaquistão e concluiu o processo de naturalização brasileira em 2016, está em seu país de origem e permanece lá até o fim do Mundial.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade