Com ouro duplo, Gordon Ryan iguala feito histórico de lendas como Roger Gracie, Mark Kerr e Ricardo Arona no ADCC; confira

Publicado em 02/10/2019 por: Diogo Santarém
Com ouro duplo, Gordon Ryan iguala feito histórico de lendas como Roger Gracie, Mark Kerr e Ricardo Arona no ADCC; confira Dono de um estilo falastrão, Gordon Ryan conquista título atrás de título sem o quimono (Foto Mayara Munhos / Jiu-Jitsu in Frames)

publicidade

Maior torneio de luta agarrada do mundo, o ADCC começou em 1998 e, ao longo de sua história, coroou sete campeões ouro duplo. Um deles foi consagrado no ADCC 2019, realizado no último fim de semana (28 e 29), em Anaheim, na Califórnia (EUA). Trata-se do americano Gordon Ryan, que se junta ao seleto grupo composto por Zé Mario Sperry, Mark Kerr, Ricardo Arona, Roger Gracie, Bráulio Estima e André Galvão em 13 edições do evento.

Para atingir tal feito, Gordon primeiro brilhou em sua divisão, até 99kg. Foram quatro lutas e três finalizações, incluindo um estrangulamento sobre Vinicius Trator, da Alliance, na grande final. De volta para o peso aberto, o americano anotou mais três finalizações, forçando os três tapinhas de Pedro Marinho, Garry Tonon e Lachlan Giles. Na decisão, superou o multicampeão Marcus Buchecha – recordista em títulos no Mundial de Jiu-Jitsu – por 0 a 1 nas punições após uma batalha de 30 minutos de duração.

Essa foi a segunda participação de Gordon Ryan no ADCC, quem em 2017, na Finlândia, venceu o peso até 88kg e foi vice no absoluto. Dono de um estilo falastrão, o faixa-preta faz valer suas palavras e, em duas edições, soma três medalhas de ouro, uma de prata e 16 vitórias em 15 lutas, com 11 finalizações. Agora, ele quer inovar. Em seu perfil no Instagram, o representante da equipe Renzo Gracie propôs participar da superluta do ADCC 2021, contra André Galvão – atual campeão -, e disputar a divisão até 99kg. Segundo as regras, os integrantes da superluta não disputam as categorias, algo que Ryan pretende mudar.

“Eu quebro recordes e quebro as regras. Ninguém nunca disputou a superluta e competiu em uma divisão de peso ao mesmo tempo. Se o ADCC permitir, quem quer ver esse filho da p*** aqui disputando a superluta e a categoria até 99kg no ADCC 2021?”, postou o lutador, que é campeão mundial No-Gi.


Relembre os outros campeões ouro duplo:

– Zé Mario Sperry, 1998

Na primeira edição do ADCC, o casca-grossa Zé Mario Sperry começou fazendo história. Ele foi o primeiro campeão ouro duplo do evento, vencendo a divisão até 99kg e o absoluto. No seu peso, Sperry passou por Mohammed Saleh, Larry Parker, além dos brasileiros Renato Verissimo e Ricardo Alves nas semis e final, respectivamente. No peso aberto ele derrotou outro compatriota para garantir o título, Ricardo Morais.

– Mark Kerr, 2000

Dono de uma carreira respeitada no MMA, onde foi campeão do UFC e teve uma passagem de sucesso pelo PRIDE, Mark Kerr começou no Wrestling e brilhou no ADCC 2000. Na época, o gigante americano venceu oito rivais para garantir os títulos +99kg e absoluto, derrotando nomes como Josh Barnett, Ricco Rodriguez, Leozinho Vieira e Ricardo Almeida. Nas superlutas seguintes, Kerr bateu Mario Sperry e perdeu para Arona.

– Ricardo Arona, 2001

Um dos grandes nomes da história do MMA nacional, Ricardo Arona começou sua carreira no mundo das lutas no Jiu-Jitsu e sempre levou facilidade sem o quimono. Prova disso são os quatro títulos que o lutador possui no ADCC, dois deles conquistados em 2001, nos Emirados Árabes. Naquele ano, o “Tigre” atropelou seus rivais e, nas finais, venceu Ricardo Almeida na categoria até 99kg e Jacques Machado no peso aberto.

– Roger Gracie, 2005

Em 2005, em edição do ADCC também realizada nos Estados Unidos, Roger Gracie venceu a categoria até 99kg e o absoluto. Na sua divisão, ele eliminou Justin Garcia, Eduardo Telles, Xande Ribeiro e, na decisão, Alexandre Cacareco. Já no peso aberto, em campanha histórica, o Gracie simplesmente passou por nomes como Fabrício Werdum, Xande e, em uma das finais mais marcantes do ADCC, finalizou Ronaldo Jacaré.

– Bráulio Estima, 2009

Há dez anos atrás, quem brilhou foi Bráulio Estima. Em 2009, o faixa-preta da Gracie Barra faturou a divisão até 88kg e o peso aberto. Na primeira final, da sua categoria, Bráulio passou pelo hoje tetracampeão da superluta André Galvão. Já no absoluto, em exibição de gala, eliminou Marcelinho Garcia, Vinny Magalhães e Xande Ribeiro. Na sequência, venceu Jacaré na superluta de 2011 e perdeu para Galvão em 2013.

– André Galvão, 2011

Último campeão ouro duplo antes de Gordon Ryan, André Galvão, atual tetracampeão da superluta, brilhou em 2011, em edição na Inglaterra. Para chegar ao posto que ocupa hoje, o líder da Atos levou a categoria até 88kg derrotando o casca-grossa Rousimar Toquinho na final e, no absoluto, finalizou o americano Pablo Popovitch após passar pelos faixas-preta Serginho Moraes e Murilo Santana em sua caminhada ao topo.

 

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade