Fábio Maldonado encara campeão do Rizin FF e diz que está longe da aposentadoria: ‘Ainda vou fazer muitas lutas’

Publicado em 11/10/2019 por: Mateus Machado
Fábio Maldonado encara campeão do Rizin FF e diz que está longe da aposentadoria: ‘Ainda vou fazer muitas lutas’ Fábio Maldonado fará sua estreia pelo Rizin Fighting Federation neste sábado (Foto divulgação FNG)

publicidade

Fabio Maldonado é um dos atletas mais experientes do MMA brasileiro. Ele nunca fugiu de uma boa luta. O veterano já enfrentou nomes com o russo Fedor Emelianenko, o atual campeão do UFC Stipe Miocic e o ex-campeão do UFC Quinton “Rampage” Jackson.

Neste sábado (12), quando fará a sua estreia pelo Rizin Fighting Federation, em Osaka, no Japão, ele terá pela frente mais uma pedreira. O “Caipira de Aço”, que foi chamado faltando apenas um mês para o duelo, vai enfrentar o campeão meio-pesado da organização, o tcheco Jiri Prochazka. A luta será em um peso combinado (até 100kg) e o título não estará em jogo. Maldonado revelou que ficou surpreso com o convite, mas que está feliz por ter sido lembrado por uma grande organização.

“Minhas expectativas são as melhores para essa estreia. Estou muito feliz de estar em um evento grande como o Rizin. Eu não luto desde dezembro do ano passado, então não esperava ser chamado agora para lutar no Rizin, muito menos para enfrentar um ex-campeão. Eu tive apenas um mês para treinar. Fiz toda a minha preparação em Sorocaba e dei bastante ênfase no Boxe. Fiz o que pude para chegar bem no dia da luta e conseguir um resultado positivo”, contou o paulista.

O lutador brasileiro chega para esse duelo com um cartel de 38 lutas, sendo 25 vitórias e 13 derrotas. Maldonado é especialista no Boxe e já nocauteou 15 oponentes no MMA. Seu adversário não fica atrás. Jiri Prochazaka possuiu 28 lutas, com 24 vitórias, três derrotas e um empate. Ele mandou para a lona 21 oponentes. Pelo poder de fogo dos dois atletas, essa luta tem tudo para terminar por nocaute. É o que acredita Fabio Maldonado.

“Na encarada eu senti que ele estava bem confiante e que vem para trocar comigo. Essa luta tem tudo para terminar com um nocaute. Acredito que essa luta vai se desenrolar toda em pé. Na longa distância ele tem mais vantagem, mas na curta a vantagem é minha. Mas ele tem uma joelhada muito boa, que eu preciso tomar cuidado”, analisou.

Aos 39 anos, com passagens pelo UFC, Fight Nights Global e agora o Rizin, Maldonado garante que ainda tem muita lenha para queimar e afasta a possibilidade de aposentadoria. Após o duelo de sábado, ele pretende voltar a lutar no Rizin entre os pesos-pesados, e almeja fazer grandes lutas antes de pendurar as luvas.

“Vencendo essa luta, espero que a próxima aconteça entre os pesos-pesados. Eu sinto que falta fazer muita coisa ainda na minha carreira. Estou com 39 anos, mas estou saudável, sinto que o meu queixo está bom, graças a Deus. Eu não estou desgastado. Amanhã será uma luta perigosa, não posso deixar o meu queixo ser testado… Mas acredito que ainda vou fazer muitas lutas. Não penso em aposentadoria e espero conseguir fazer grandes combates antes de encerrar a minha carreira”, concluiu.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade