Aos 39 anos, Bibiano celebra trajetória vitoriosa no ONE e projeta novos desafios: ‘Me sinto bem para defender meu legado’

Publicado em 22/11/2019 por: Mateus Machado
Aos 39 anos, Bibiano celebra trajetória vitoriosa no ONE e projeta novos desafios: ‘Me sinto bem para defender meu legado’ Com duas vitórias em duas lutas, Bibiano Fernandes teve um ano para celebrar em 2019 (Foto divulgação ONE)

publicidade

* Atual campeão peso-galo do ONE Championship, Bibiano Fernandes teve um ano de desafios e “acerto de contas” com seu rival dos últimos anos. Em março, ele enfrentou Kevin Belingon em uma trilogia e saiu vencedor no segundo round, no entanto, os golpes ilegais aplicados pelo seu oponente, que decretaram o fim do combate, abriram brecha para um novo duelo, que aconteceu em outubro, no histórico ONE Championship 100, no Japão.

Com a experiência de ter enfrentado o filipino em três oportunidades, saindo vencedor em duas, Bibiano decidiu dar fim à rivalidade de maneira magistral. Com uma grande atuação, utilizou seu Jiu-Jitsu de excelência e finalizou Belingon via mata-leão no segundo round, mantendo o título dos galos em sua posse.

Em entrevista exclusiva à TATAME, o manauara, atualmente com 39 anos, falou sobre o fato de ter enfrentado tantas vezes um mesmo oponente, sua longa – e vitoriosa – trajetória dentro no ONE Championship, a relação com os fãs asiáticos e seus próximos planos para a carreira visando o ano de 2020.

Confira o bate-papo com Bibiano na íntegra:

– Quatro lutas – três seguidas – contra Belingon

Foi uma boa experiência enfrentar o mesmo cara tantas vezes, foram três lutas seguidas. Algumas coisas boas, outras ruins. Teve polêmica na luta em que ele me venceu. Até hoje não consigo ver vitória para ele por pontos (decisão dividida), mas passou. Também teve o caso dos golpes irregulares dele, mas também deixei isso pra lá. O mais importante é que eu consegui mostrar quem é o melhor lutador entre nós dois.

– Trajetória no ONE e elogios à organização 

O ONE sempre foi um excelente evento, mas hoje está ainda melhor do que era. É impressionante a repercussão que o evento tem na Ásia, em países que muitos nem conhecem. Sou muito feliz no ONE, muito feliz com a escolha que fiz lá atrás. Além de vencedor dentro do cage, sou um felizardo de viajar e conhecer o mundo por conta da luta. Com o ONE visitei lugares incríveis e lutei em países maravilhosos.

– Atual relação com os fãs asiáticos de MMA

É impressionante, como eu disse. Os fãs orientais são bem diferentes dos ocidentais. Eles têm a cultura deles, o jeito deles de sentir a luta, assistir, tudo isso é diferente. E isso reflete na abordagem. Eles são bem respeitosos e também carinhosos, assim como os fãs brasileiros com a maioria dos lutadores do país.

– Principais motivações para lutar aos 39 anos

Eu me sinto muito bem para continuar lutando e defendendo meu legado no ONE e no MMA profissional. Sei que sou exemplo para muitos jovens e crianças que querem vencer na vida através da luta. Isso é o que me motiva, ser exemplo. Me considero um campeão dentro e fora do cage e acho que é isso que o mundo precisa, de bons exemplos. Quero lutar por mais alguns anos, ter novos desafiantes dentro do ONE.

Bibiano Fernandes é o atual campeão peso-galo do ONE Championship (Foto divulgação ONE)

– Oportunidades de lutar no UFC ou Bellator 

Sim, tive a oportunidade, o convite (de lutar por outras organizações), mas preferi seguir minha vida no ONE. Hoje tenho certeza que tomei a melhor decisão. Sou um cara extremamente realizado, um atleta vencedor, e não sei como seriam as coisas em outros eventos, outro tipo de gestão, interesses. Sou feliz como sou.

– Principais planos para o mundo das lutas em 2020

Quero lutar, defender meu cinturão, meu trono no ONE Championship. Quero novos desafiantes, lutadores que exijam o melhor de mim, como tem sido sempre. Pretendo fazer duas lutas em 2020, algo assim.

– Planos – ou não – para competir no Jiu-Jitsu

Eu amo o Jiu-Jitsu, sempre foi e sempre será minha principal arma. O Jiu-Jitsu mudou minha vida, escreveu minha história, e sou grato por isso. Penso em competir no Master, mas ainda não sei bem como poderei fazer isso. É algo que tenho dentro de mim, e que em algum momento acontecerá, é deixar acontecer.

* Por Mateus Machado

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade