FJERJ premia melhores do ano no Judô carioca e faz outorga de faixas em cerimônia na Arena Carioca 3; confira

Publicado em 09/12/2019 por: Yago Redua
FJERJ premia melhores do ano no Judô carioca e faz outorga de faixas em cerimônia na Arena Carioca 3; confira Cerimônia de melhores do ano da FJERJ aconteceu no último sábado, 7 (Foto divulgação FJERJ)

publicidade

A Federação de Judô do Estado do Rio de Janeiro organizou, no último sábado (7), a outorga de faixas e cerimônia de melhores do ano de 2019 na Arena Carioca 3, no Parque Olímpico do Rio. O ginásio estava cheio para o evento, que contou com a presença de importantes nomes no Judô Rio e premiou atletas, clubes, treinadores, árbitros e graduados.

A mesa da competição foi composta pela diretoria da FJERJ: o presidente Jucinei Costa, o vice Leonardo Lara, o superintendente Jeferson Vieira e o presidente da Comissão Estadual de Graus Marco Aurélio da Gama.

Um dos pontos altos foram as premiações dos atletas campeões do ranking 2019 em todas as classes. No sênior, Cleyanderson Silva (Jequiá Iate Clube) e Carolina Pereira (Instituto Reação) foram os homenageados. Além dos dois, também foram premiados os campeões Sara Laís Silva (Equipe Léo Lima de Judô) e Victor Hugo Silva (Umbra/Vasco) no sub-13; Mariana Nunes (Equipe Léo Lima de Judô) e Antônio Neto (Instituto Reação) no sub-15; Anna Karolina Belém (Instituo Reação) e Renan Furtado (Instituto Reação) no sub-18; e por fim Luiza Cruz (Instituto Reação) e Jeferson Santos Jr. (Instituto Reação) no sub-21.

Os árbitros também tiveram lugar, destacados sobretudo pelos novos membros da FIJA, como Marcelo Colonna e Gérson Paulino, condecorados em 2019 com o mais alto grau da arbitragem internacional. Já os treinadores do Judô Rio, que defenderam a seleção brasileira em 2019, também receberam destaque. André Amorelli (Umbra/Vasco) e António Moutella (Fluminense) foram alguns dos homenageados.

Já no que diz respeito à outorga de faixas, quase 250 pessoas foram aprovadas no evento. Por fim, o presidente Jucinei fez um balanço do evento festivo e a importância após um ano de trabalho pesado. “A nossa intenção é poder organizar mesmo uma grande festa no final do ano. Durante o ano, o foco está na parte técnica, competitiva, de aperfeiçoamento. Quando chega o final, sabemos que é onde culmina todo o trabalho daquela temporada das agremiações, dos técnicos, candidatos à faixa preta, atletas…”, disse.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade