Judocas de 16 estados faturam medalhas no Campeonato Brasileiro Sênior; Chiaki Ishii recebe homenagem inédita

Publicado em 03/12/2019 por: Diogo Santarém
Judocas de 16 estados faturam medalhas no Campeonato Brasileiro Sênior; Chiaki Ishii recebe homenagem inédita Brasileiro Sênior reuniu os melhores atletas do Judô brasileiro em Balneário Camboriú, Santa Catarina (Foto Lara Monsores / CBJ)

publicidade

O Campeonato Brasileiro Sênior de Judô encerrou a temporada 2019 da CBJ com judocas de 16 estados no pódio da principal competição nacional, realizada no último fim de semana, em Balneário Camboriú (SC). Desses, seis conquistaram medalhas de ouro: Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Bahia e Maranhão. O maior destaque foi a seleção mineira, que chegou a dez finais e levou sete ouros no domingo (1), no encerramento da competição.

“Esse resultado vem de muito trabalho. Fizemos um trabalho específico para o Campeonato Brasileiro, estudamos nossos possíveis adversários nessa competição. Todo mundo veio muito focado no que queria e também era a última competição do ano. Trabalhamos tanto o ano inteiro e todo mundo veio com o sentimento de querer fechar o ano com chave de ouro. Isso fez a grande diferença, sem dúvida”, avaliou a experiente Mariana Silva, representante do Brasil em duas Olimpíadas, que garantiu um dos sete ouros de Minas ao vencer Ana Carla Grincevicus, do Mato Grosso do Sul, na final do peso meio-médio feminino.

Além de Ana Carla, os outros seis títulos mineiros vieram com Amanda Lima (48kg), Sarah Nascimento (70kg), Ariana Silva (78kg), Eduardo Bettoni (90kg), André Humberto (100kg) e Thiago Palmini (+100kg).

O Rio Grande do Sul também fez bonito e levou três títulos. Jéssica Lima venceu Layana Colman (MG) na final do peso leve feminino (57kg); David Lima levou a melhor sobre Julio Toda Filho (MG) no leve masculino (73kg); e João Pedro Macedo finalizou Luanh Saboya (RJ) para conquistar o ouro do meio-médio (81kg).

Os outros quatro ouros nacionais foram para Yasmim Lima (52kg), do Rio; Ítalo Mazzili (60kg), do Maranhão; Diego Santos (66kg), da Bahia; e Camila Yamakawa (+78kg), do Mato Grosso do Sul, que protagonizou um dos momentos mais emocionantes de evento ao subir no pódio com seu filho Ali, de apenas três meses de idade. A judoca de Dourados, vice-campeã mundial júnior em 2015, aproveitou o tempo de recuperação de uma cirurgia no joelho para realizar o sonho de ser mãe e planejou a gestação de uma forma que conseguisse voltar a treinar a tempo de lutar o Campeonato Brasileiro para defender seu título de 2018.

“Meu retorno foi mais difícil do que esperava. Sofri. Tinha muita coisa na minha cabeça, achava que não ia conseguir. Não foi só voltar de uma cirurgia. Foi voltar de uma cirurgia e de uma gravidez. Tinha que conciliar os cuidados com meu filho, o seio cheio de leite, que é uma coisa que dói muito, medo de me machucar de novo ao entrar os golpes. Então, foi um turbilhão de sentimentos que eu nunca tinha sentido antes. Quando vi que deu certo, não consegui fazer mais nada além de chorar”, explicou Camila Yamakawa ao sair do tatame muito emocionada após derrotar a paulista Sibilla Faccholi na decisão do pesado feminino.

Líderes do ranking ganham convocação para o Circuito Mundial

O Brasileiro Sênior foi a última competição que distribuiu pontos no ranking nacional. O campeão de cada categoria arrematou 180 pontos na disputa pela liderança que vale uma convocação para representar o Brasil em uma etapa de Grand Prix do Circuito Mundial IJF. Ao todo, sete competições distribuem pontos nesse ranking: Brasileiro Sênior, Troféu Brasil Interclubes, Taça Brasil sub-21, Brasileiro Regional, Copa Estadual, Campeonato Estadual e uma competição internacional IJF, que vale 220 pontos e contará apenas o melhor resultado do ano. A lista atualizada dos líderes nacionais será divulgada em breve no zempo.com.br, bem como a definição da etapa do Circuito Mundial para a qual os atletas serão convocados. Para conferir o quadro de medalhas por estado, clique aqui. Já para ver o resultado final por categoria, clique aqui.

 

Ver essa foto no Instagram

 

lendas.jpg carregando… @joaoderly e Chiaki Ishii! A história do Judô brasileiro passa muito por aqui 💪🏽🥋👊🏽 #BrasileiroCBJ

Uma publicação compartilhada por CBJ (@noticiascbj) em

Chiaki Ishii é homenageado pela CBJ e recebe comenda inédita

Além das disputas, Chiaki Ishii, pioneiro no Judô brasileiro, recebeu a inédita comenda da Ordem do Mérito do Judô Brasileiro, homenagem outorgada pela Confederação Brasileira de Judô em reconhecimento ao primeiro medalhista olímpico e mundial da modalidade no Brasil. A medalha e o diploma foram entregues pelo presidente da CBJ, Silvio Acácio Borges, que destacou a importância de Ishii no Judô brasileiro e o significado da condecoração criada em 2019 como parte das comemorações de 50 anos da CBJ.

“Nós estamos resgatando as raízes do Judô brasileiro com essa homenagem ao sensei Ishii, que muito me honra. A CBJ está muito feliz com esse momento de poder agraciar com a primeira comenda da Ordem do Mérito uma das personalidades mais importantes do Judô e do esporte no Brasil”, afirmou o presidente.

Ao receber a comenda, Chiaki Ishii agradeceu à Confederação pelo reconhecimento e não segurou a emoção. “Minha vida toda foi só treinar Judô, tudo pelo Judô. Fico muito emocionado de receber esse diploma e a medalha. Gostei muito da homenagem”, resumiu Ishii, acompanhado de perto por sua família.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade