‘Agente livre’, Thiago Pitbull mostra tranquilidade em relação ao futuro: ‘Financeiramente, não preciso mais lutar’

Publicado em 14/01/2020 por: Mateus Machado
‘Agente livre’, Thiago Pitbull mostra tranquilidade em relação ao futuro: ‘Financeiramente, não preciso mais lutar’ Thiago Pitbull mostrou tranquilidade ao falar sobre o seu futuro no MMA (Foto reprodução Instagram)

publicidade

Com 36 anos e um cartel de 23 vitórias e 15 derrotas no MMA profissional, Thiago “Pitbull” Alves encontra-se em um momento de indecisão em sua carreira. Em dezembro, quando foi derrotado por Tim Means, o brasileiro fez a última luta de seu contrato com o UFC e se tornou um “agente livre”, no entanto, apesar de revelar que tem negociado com organizações como Bellator e PFL, o experiente lutador ainda não sabe qual será o próximo passo de sua trajetória no esporte.

O longo período lutando pelo Ultimate, onde estava desde 2005, somando-se ao fato de estar em ação em edições grandiosas da organização e o alto número de combates realizados, trouxeram a tão esperada estabilidade financeira para o atleta. Desta forma, em entrevista ao site MMA Junkie, Thiago afirmou que só retorna ao cage caso receba uma proposta vantajosa. Do contrário, já tem em mente seu futuro sem calçar as luvas.

“Dinheiro. O dinheiro tem que ser certo (para seguir lutando). Eu estava ganhando uma grana muito boa no UFC. Tenho recebido seis dígitos no UFC desde 2008. Então, financeiramente, eu não preciso mais lutar. Quero lutar porque amo o que eu faço. Acabei de completar 36 anos e fui nocauteado na minha última luta. Mas sinto que ainda tenho muita luta dentro de mim. Se o dinheiro não fizer sentido, então fico feliz em me afastar. Já tenho muita coisa planejada. Sou um dos treinadores na American Top Team, estou abrindo minha própria academia da American Top Team com o Wilson Gouveia, que foi meu companheiro de time desde que eu cheguei nos EUA 18 anos atrás. Também estou no processo para ser contratado pela polícia, que foi minha primeira paixão antes do MMA. Estou em negociações com a PFL, estou em negociações com o Bellator e estou apenas esperando para ver os números finais. Se os números finais fizerem sentido, então vou competir esse ano. Se não, vou seguir para o próximo capítulo”, revelou Pitbull.

Satisfeito com aquilo que alcançou dentro do esporte, tendo, inclusive, disputado o cinturão meio-médio do Ultimate – sendo superado por Georges St-Pierre, em 2009 -, o cearense considera que traçou uma carreira de respeito dentro do MMA.

“Eu deixei o Brasil aos 19 anos de idade para começar uma carreira nas lutas e conquistei muito mais do que eu sonhei. Nunca imaginei estar falando em inglês, viver em uma bonita casa na América, estar casado… Então, eu tenho vivido meu sonho desde que eu tinha 19 anos. A única coisa que eu não fui capaz de conquistar foi ser campeão. Mas, quando eu estava lutando, estava competindo contra o melhor de todos os tempos (Georges St-Pierre). Era difícil vencer aquele cara. Mas foi divertido. (…) Então, se esse é o fim, estou feliz com isso. (…) Tem muito mais vida fora do MMA, mas estou animado por ter sido capaz de fazer o que fiz, e vivido a vida que vivi até então”, concluiu.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade