Do Bronx ironiza Lee sobre ‘calar a boca’ dos brasileiros no UFC Brasília: ‘A pressão vai estar nele’

Publicado em 04/02/2020 por: Yago Redua
Do Bronx ironiza Lee sobre ‘calar a boca’ dos brasileiros no UFC Brasília: ‘A pressão vai estar nele’ Do Bronx e o treinador Cícero Coutinho durante preparação na Chute Boxe (Foto divulgação)

publicidade

* Dono de uma sequência de seis vitórias seguidas (quatro por finalização e duas por nocaute), Charles do Bronx foi prestigiado pelo Ultimate e vai fazer a luta principal do UFC Brasília, dia 14 de março, no Ginásio Nilson Nelson. Além disso, o paulista, que há tempos pedia por um adversário melhor posicionado no ranking dos leves, vai encarar Kevin Lee, que ocupa o oitavo lugar na categoria até 70kg.

Charles bateu um papo com a TATAME sobre o protagonismo no UFC Brasília e, principalmente, Kevin Lee. O norte-americano, que perdeu três das suas últimas cinco lutas, prometeu “calar a boca” da torcida brasileira.

Do Bronx ironizou Lee e ainda apontou que o adversário entrará pressionado para o combate: “Acho que o favorito para vencer é ele, como ele mesmo disse: ‘ele é o cara’. Ele falou isso. Querendo ou não, tem pressão em cima disso tudo. Eu vou lutar como eu sempre lutei, sem pressão nenhuma. Sempre pra frente, trabalhando o meu jogo em pé e no chão. E deixa ele vir falando o que vai fazer, que vai calar a boca de todo mundo… A pressão estará total em cima dele e não em mim”, apontou o faixa-preta brasileiro.

Aos 30 anos e na 13ª posição do ranking peso-leve, Do Bronx garante viver sua melhor fase no MMA. Além dos triunfos seguidos, o representante da Chute Boxe/Diego Lima é o recordista em finalizações do UFC.

Confira a entrevista completa com Charles Do Bronx:

– Pontos fortes e fracos de Kevin Lee

O Kevin Lee é um cara duríssimo. Ele tem algumas falhas no jogo, que a gente pode trabalhar em cima disso. Eu acho que ele é um cara que tem uma combinação de Wrestling com a parte de Boxe muito boa. Quando ele coloca para baixo, consegue fazer um ground and pound bom, forte. No entanto, ele começa um round muito forte e acaba caindo de rendimento. E vão ser cinco rounds, posso trabalhar bem nesse sentido.

– Aprendizado com os erros do passado

Fiz grandes lutas no peso leve, quanto no peso pena. Acho que algumas lutas eu errei de lutar lesionado ou algo do tipo. Mas eu aprendi bastante. Acho que aprendemos mais com as derrotas do que propriamente com as vitórias. Eu estou vindo mostrando isso. São seis vitórias seguidas, com quatro finalizações e dois nocautes. Com fé em Deus, tudo dando certo, dia 14 de março estamos indo para a nossa sétima vitória.

– Oportunidade de fazer a luta principal

Eu fiquei muito feliz (com a escolha). Há algumas lutas já vinha pedindo um cara Top 10, ranqueado… E agora vou pegar o Kevin Lee, um cara duríssimo que anda para frente, e na luta principal. Estou animado.

– Card do UFC Brasília recheado de Jiu-Jitsu

O card está sensacional, com o Demian Maia que tem um Jiu-Jitsu incrível, entre outros nomes que estarão no card. Eu vou lá para lutar e dar um grande show, como eu sempre dei. Se aparecer uma brecha para finalizar, vou pegar, ou então para nocautear. Eu não quero deixar nas mãos dos árbitros. Feliz por ser a luta principal e a minha parte vou fazer, que é treinar e me dedicar ao máximo para dar um grande show.

* Por Yago Rédua

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade