Com grande estrutura e planos ousados, evento Iron Fight surge como boa oportunidade aos atletas do Norte; veja

Publicado em 23/03/2020 por: Mateus Machado
Com grande estrutura e planos ousados, evento Iron Fight surge como boa oportunidade aos atletas do Norte; veja Iron Fight realizou sua primeira edição no último dia 14 de março (Foto: Divulgação/Iron Fight)

publicidade

Esporte em crescimento constante no Brasil, o Jiu-Jitsu tem uma presença significativa no Norte do Brasil e, há anos, inúmeros atletas da região são revelados e despontam no cenário nacional e internacional da arte suave. Pensando nisso, Nilton Leal optou por criar a organização Iron Fight, que no último dia 14 de março, realizou sua primeira edição em Boa Vista, Roraima, com uma estrutura grandiosa e grandes combates.

“A ideia de criar o Iron Fight surgiu, principalmente, pela necessidade de valorização dos atletas do Norte do Brasil. A região é um celeiro de grandes nomes do Jiu-Jitsu mundial, nomes como o do atleta Lucas Daniel (Lucas Hulk), Erberth Santos e Fafá Pereira são grandes exemplos de atletas que despontam entre os primeiros colocados nos principais rankings do mundo. O Iron nasceu a partir da necessidade de termos um evento grande, com estrutura capaz de brigar entre os principais eventos do Brasil e, principalmente, valorizando e incentivando nossos atletas. A intenção é expandir. Claro que temos que ter muita cautela, buscar parcerias fortes, que nos permita sempre oferecer boas premiações e tornar o Iron atrativo aos atletas de renome. A semente está plantada e acredito que em pouco tempo, teremos um evento sólido e com diretrizes que atendam aos anseios de todos os atletas”, explicou Nilton, que tem como Eduardo Carneiro como sócio e deu detalhes sobre como foi o primeiro evento promovido pelo Iron Fight.

“Nossa primeira edição foi realizada no último dia 14 de março. Cada detalhe foi pensado para oferecer total conforto e condições adequadas para a prática do melhor Jiu-Jitsu. Criamos um GP entre atletas de Roraima e do Amazonas, levamos a rivalidade para dentro do tatame em uma noite onde procuramos dar status de estrela a cada atleta que esteve defendendo a sua equipe e seu estado. O GP foi composto por nove lutas, todas de faixa-preta, e nessa primeira edição, Roraima levou a melhor no placar, por 5 a 4. Além do GP RR x AM, tivemos mais sete lutas casadas entre atletas da casa, três delas no estilo No-GI, com uma disputa de cinturão entre os atletas Daniel Trindade e Adail Aranha, e o atleta Daniel hoje é o dono do nosso primeiro cinturão e com responsabilidade de defendê-lo em um futuro próximo. Ficamos muito felizes, porque alcançamos o inimaginável para o lançamento de uma marca e hoje temos a certeza de que o trabalho foi bem feito. Apresentamos um estrutura gigante, que não deixa nada a desejar a nenhum evento que temos pelo Brasil”.

Apaixonado por artes marciais e disposto a elevar ainda mais o nível da prática da arte suave no Norte do Brasil, Nilton Leal também projetou o que espera proporcionar e trazer com a realização dos próximos eventos.

“A relação com as artes marciais é uma relação de amor. Sou apaixonado pelo Jiu-Jitsu e pelo MMA. Embora não seja um praticante assíduo, procuro estar sempre por dentro dos acontecimentos e meu círculo de amizade é quase em totalidade no meio das artes marciais. O maior objetivo que temos para o Iron Fight é o aprimoramento e fortalecimento, para torná-lo sólido e com credibilidade no âmbito nacional, para que possamos oferecer oportunidade e visibilidade a atletas com potencial. Para isso, criamos uma área comercial responsável pela captação e negociação de patrocinadores para que o Iron se torne cada dia mais forte no mercado esportivo”.

Com planos ousados visando as próximas edições da franquia, Nilton também revelou que vem desenvolvendo um evento voltado para o MMA. Por conta da pandemia do novo coronavírus, ainda não há data prevista para a realização do mesmo, mas nomes conhecidos do cenário das artes marciais mistas já têm negociações avançadas para entrarem em ação pelo Iron Fight MMA.

“Com toda certeza, sim (sobre realizar eventos de MMA). Na primeira edição, durante a realização do Grand Prix, já fizemos o lançamento prévio do Iron Fight MMA, mostramos ao público presente que o melhor do Iron ainda está por vir. Passamos um vídeo, apresentamos a nova logomarca voltada para o MMA e também apresentamos quatro atletas que, possivelmente, estarão fazendo as principais lutas do evento. São eles: Fafá Pereira (número 1 do ranking mundial), o atleta ex-UFC Ronys Torres, com quem temos conversas em andamento em andamento e aguardando contato com os empresários do atleta; Fabiano Jacarezinho, prata da casa, que reside na Alemanha e luta os principais eventos europeus; e p Rony Jason, com quem já temos negociações adiantadas e, dando tudo certo, fará a luta principal contra o Fabiano Jacarezinho na categoria até 66kg.Ainda não podemos marcar a data do evento em virtude da Pandemia mundial, mas assim que vencermos esta batalha (Coronavírus), marcaremos a data, com um espaço de tempo suficiente para que os atletas façam sua preparação e proporcionem um grande espetáculo”, encerrou.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade