Com treinos em casa, José Aldo esbanja confiança para luta contra Cejudo no UFC São Paulo: ‘Venço de olhos fechados’

Publicado em 29/03/2020 por: Mateus Machado
Com treinos em casa, José Aldo esbanja confiança para luta contra Cejudo no UFC São Paulo: ‘Venço de olhos fechados’ José Aldo vem mantendo a forma com treinos em casa com sua esposa (Foto reprodução Instagram)

publicidade

O fechamento de academias por conta da pandemia do novo coronavírus é algo que tem preocupado atletas e professores ao redor do mundo, além de afetar lutadores das mais diversas classes e modalidades. José Aldo, por exemplo, está em período de quarentena e tem procurado manter a forma em casa. Com disputa de cinturão marcada contra o campeão peso-galo Henry Cejudo para o dia 9 de maio, em São Paulo, pelo UFC 250, o ex-detentor do cinturão peso-pena do Ultimate afirmou que a falta de treinos em um ritmo normal de camp não tem lhe afetado. Em entrevista ao site MMA Fighting, o brasileiro deixou claro que tem se preocupado mais em conseguir bater o peso.

“Que se f***. Eu só preciso de uma semana de treinos para vencer o (Henry) Cejudo. Estou mais preocupado em bater o peso do que em lutar contra ele. Posso estar sem treinar, de férias, mas se me colocarem no octógono com ele, eu venço de olhos fechados. Por isso, na minha opinião, não se trata de fazer sparring ou não. Se eu só tiver um mês ou uma semana de treinos, eu venço. Venço até sem treinar. O maior problema é o peso, por isso estou comendo corretamente. Estou tranquilo para a luta. Ninguém precisa se preocupar.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Treinando com a esposa também vale um dia de treino ? Eu acho que sim!

Uma publicação compartilhada por José Aldo Junior (@josealdojunioroficial) em

Ciente do crescimento do número de casos de coronavírus em São Paulo, local do evento, Aldo também declarou que uma possível mudança não o preocupa. Esbanjando confiança, o lutador da Nova União disse que, apesar de respeitar os feitos de Cejudo, tem condições de vencê-lo em qualquer área.

“Eu ganho dele onde quer que a luta aconteça… Fácil. Vou nocauteá-lo rápido, não tenho a menor dúvida. A luta não vai até o quinto round, não vai, não tenho nenhuma dúvida. Se ele tentar me derrubar, não vai conseguir, porque já enfrentei muitos wrestlers melhores do que ele. Eu respeito a história dele nas Olimpíadas, ele foi campeão olímpico, parabéns, tiro o meu chapéu para isso. Mas o nosso esporte é totalmente diferente. Ele foi campeão olímpico nos 55kg, mas no MMA é tudo diferente. Não estou preocupado. Meu Jiu-Jitsu é melhor que o dele. Se ele me levar para o chão, vou finalizá-lo, mesmo sem treinar há um ano. Se ficarmos em pé, vou nocauteá-lo. Ninguém precisa se preocupar. Para onde quer que a luta vá, eu vou nocautear”, assegurou o manauara, que também falou sobre seus treinos para o duelo.

“Não estamos nem perto de treinar como em um camp normal, é claro, mas estou me mantendo ativo em casa, treinando sempre que posso. Não estou relaxado ou fora de forma só porque não estou indo para a academia. Estou me exercitando, mantendo o peso baixo, me alimentando bem. Por isso tenho certeza que vai dar tudo certo. Eu vou escolher um grupo de atletas, não mais que cinco, que também estejam em quarentena. Como eu sei que eles não estão infectados com o coronavírus, eles podem treinar comigo. Já provei que também não estou contaminado, porque fiquei duas semanas em casa. Se eles também não estão, podemos treinar com contato, sem problemas. Vou treinar somente com esse grupo. Nós estamos todos isolados em quarentena. Quando esse período acabar, vamos tomar todos os cuidados necessários para podermos treinar Jiu-Jitsu e fazer sparring. Vamos poder treinar normalmente. A academia está fechada, mas vai abrir apenas pra mim, sem risco de sermos contaminados ou contaminar outras pessoas”.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade