Comitê Olímpico do Brasil pede o adiamento dos Jogos para 2021, e COI cogita ideia pela primeira vez; confira

Publicado em 22/03/2020 por: Diogo Santarém
Comitê Olímpico do Brasil pede o adiamento dos Jogos para 2021, e COI cogita ideia pela primeira vez; confira Presidente do COB, Paulo Wanderley falou sobre o posicionamento da entidade (Foto Ana Patrícia / Exemplus / COB)

publicidade

Em meio a indefinição da realização dos Jogos Olímpicos de 2020 em Tóquio, no Japão, por conta do avanço do novo coronavírus, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) se posicionou no último sábado (21) e, através de uma nota oficial, defendeu o adiamento das Olimpíadas para 2021. O evento aconteceria em um período equivalente ao originalmente marcado, entre o fim de julho e a primeira quinzena do mês de agosto.

“Como judoca e ex-técnico da modalidade, aprendi que o sonho de todo atleta é disputar os Jogos Olímpicos em suas melhores condições. Está claro que, neste momento, manter os Jogos para este ano impedirá que este sonho seja realizado em sua plenitude”, disse o presidente do COB, Paulo Wanderley, que completou.

“O COI já passou por problemas imensos anteriormente, como nos episódios que culminaram no cancelamento dos Jogos de 1916, 1940 e 1944, por conta das Guerras Mundiais, e nos boicotes de Moscou 1980 e Los Angeles 1984. A entidade soube ultrapassar estes obstáculos, e vemos a Chama Olímpica mais forte do que nunca. Tenho certeza de que o Thomas Bach, atleta medalha de ouro nas Olimpíadas de Montreal, em 1976, está plenamente preparado para nos liderar neste momento de dificuldade”.

COI já cogita adiamento

Pela primeira vez desde o início da pandemia do novo coronavírus, o Comitê Olímpico Internacional (COI) admitiu a possibilidade de adiar as Olimpíadas – com início previsto para o dia 24 de julho. Através de um comunicado divulgado neste domingo (22), a entidade detalhou seus passos, explicando que nas próximas quatro semanas realizará um planejamento sobre o futuro do evento, mas descartou o cancelamento.

“O Comitê Executivo do COI enfatiza que o cancelamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio não resolveria os problemas ou ajudaria ninguém. Desta forma, o cancelamento não está em discussão. Por um lado, há uma significativa evolução (do coronavírus) no Japão. Isso poderia fortalecer a confiança dos japoneses de que o COI, com algumas restrições de segurança, poderia organizar os Jogos. Por outro, há um dramático aumento nos casos de Covid-19 em diferentes países e continentes”, apontou a entidade responsável.

Classificado como pandemia pela OMS (Organização Mundial de Saúde), o coronavírus (Covid-19) vem causando preocupação e comoção global. Com origem na China, o vírus se espalhou por todos os continentes e, atualmente, tem na Itália o país mais infectado. No mundo, já são mais de 300 mil casos confirmados e 13 mil pessoas mortas, além de milhões afetadas de forma direta ou indireta.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade