Joanna garante estar ainda mais obcecada pelo título, faz elogios à campeã Zhang, mas diz: ‘Não enfrentou alguém como eu’

Publicado em 03/03/2020 por: Mateus Machado
Joanna garante estar ainda mais obcecada pelo título, faz elogios à campeã Zhang, mas diz: ‘Não enfrentou alguém como eu’ Joanna Jedrzejczyk garantiu motivação extra para disputar o cinturão contra Weili Zhang (Foto reprodução Instagram)

publicidade

Grande nome da história do MMA feminino, Joanna Jedrzejczyk já reinou por anos na categoria peso palha, onde chegou a defender seu título em cinco oportunidades. No entanto, a dura derrota para Rose Namajunas por nocaute no primeiro round, em novembro de 2017, pôs fim à supremacia da polonesa na divisão.

Desde então, Joanna chegou a ter novas oportunidades em disputas de título, nos palhas e nos moscas, todavia, a ex-campeã voltou a ser derrotada por Namajunas e também foi superada por Valentina Shevchenko. Agora, Jedrzejczyk terá nova chance de retomar o título dos palhas, no sábado (7), pelo UFC 248, em Las Vegas (EUA), diante da atual campeã Weili Zhang. Em entrevista ao site MMA Fighting, a atleta de 32 anos revelou estar ainda mais “obcecada” do que na época em que tinha o cinturão em sua posse.

“Desde que eu perdi o cinturão, fiquei ainda mais obcecada do que quando era campeã. Com o cinturão, fisicamente ou não, você pode agir como campeão, você pode ser o campeão. Eu fiz isso para a elite. Não uma vez, mas seis vezes. Tenho saudade. Estou ansiosa. Será minha 14ª luta no UFC e a décima luta pelo cinturão. Significa muito. É grande. Não há tantas pessoas com um legado como esse, com tantas experiências. Eu mantenho isso fresco porque quero lutar pelos meus sonhos”, disse a polonesa.

Joanna terá, provavelmente, um dos grandes desafios de sua carreira, tendo em vista que Zhang surgiu de forma “meteórica” no Ultimate. A chinesa tem quatro vitórias, sendo a última delas sobre a brasileira Jéssica Bate-Estaca, em agosto do ano passado, quando faturou o título com um nocaute em 42 segundos.

“Seu cartel é muito bom, 20-1, mas essas coisas não entram em jogo. Ela é a campeã, ela está no topo e é a melhor peso-palha do mundo no momento. Ela é meu próximo grande desafio e estou muito feliz em enfrentar a melhor. Ela é muito perigosa, surpreendeu o mundo. Ela se saiu bem na luta com a Jéssica. (…) Vou ter que ser inteligente nessa luta, mostrar meu coração e vamos jogar o meu jogo, mas ela não enfrentou alguém como eu. Meu cardio é sempre bom e eu sempre melhoro de um camp para outro”.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade