Organizações do mundo todo suspendem eventos por conta do coronavírus e dirigentes projetam futuro da arte suave

Publicado em 23/03/2020 por: Diogo Santarém
Organizações do mundo todo suspendem eventos por conta do coronavírus e dirigentes projetam futuro da arte suave Mundial da IBJJF foi suspenso e, por enquanto, está sem data prevista para acontecer (Foto IBJJF)

publicidade

O mundo vive uma das maiores crises sanitárias da sua história por conta do novo coronavírus (Covid-19) e o impacto tem sido enorme dentro do esporte, com diversas competições adiadas ou canceladas. Uma das medidas de segurança – dentre diversas – é a proibição da aglomeração de pessoas e o isolamento, com isso, torneios de Jiu-Jitsu como o Mundial da IBJJF e o Abu Dhabi World Pro, da UAEJJF, também foram afetados. Em um momento de incerteza, a TATAME conversou com dirigentes das duas principais federações da arte suave para projetar o futuro do esporte.

De maneira sem precedentes, o coronavírus (Covid-19) vem impactando na economia mundial, na rotina de pessoas ao redor do mundo – com países como Itália e Espanha entrando integralmente em um processo de isolamento – e também nas atividades esportivas. Ligas de Futebol, Basquete, Vôlei, esportes a motor e pré-olímpicos para os Jogos de Tóquio 2020 foram todos adiados, cancelados e suspensos. E o Jiu-Jitsu não ficou de fora desse caos que se alastrou pelos cinco continentes nas últimas semanas.

LEIA A REVISTA COMPLETA, AQUI

O primeiro grande evento de arte suave afetado com o avanço do coronavírus, classificado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como pandemia – que define o vírus como uma ameaça global -, foi o World Pro da UAEJJF, em Abu Dhabi. A federação dos Emirados Árabes Unidos optou por adiar o torneio que seria realizado entre os dias 11 e 17 de abril. A ideia da organização, segundo relatos à TATAME, é reagendar o Abu Dhabi World Pro para o mês de novembro. Na sequência, a IBJJF cancelou o Pan-Americano, que estava agendado de 18 a 22 de março, em Irvine, na Califórnia, Estados Unidos.

As consequências da rápida evolução do coronavírus chegaram até o Mundial de Jiu-Jitsu, principal competição do calendário esportivo da arte suave e que aconteceria entre os dias 27 e 31 de maio, em Long Beach, na Califórnia (EUA). No último dia 17 de março, a IBJJF anunciou oficialmente o adiamento do Mundial. Outro grande evento cancelado foi o Brasileiro de Jiu-Jitsu, maior campeonato do país que ocorreria no começo de maio, em Barueri, São Paulo. Até o momento, dezenas de Opens da IBJJF/CBJJ foram cancelados/suspensos, assim como torneios de superlutas e de diversas outras organizações, entre elas a AJP. A tendência é que todas revisem seu calendário anual, com novas datas estipuladas.

Comunicado da IBJJF

“Infelizmente, devido à atual pandemia do Covid-19, não poderemos realizar o Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu durante as datas programadas. Continuamos a monitorar a situação em desenvolvimento e reagendaremos o torneio para uma data posterior, uma vez que tenha sido determinado que é seguro retornar às atividades normais. A temporada de classificação e os requisitos de pontos para a divisão adulto faixa-preta serão reavaliados e ajustados de acordo quando for possível abrir o registro para a data remarcada. Publicaremos mais informações assim que tivermos atualizações sobre”.

E quem pagou o Pan?

Quanto ao ressarcimento dos atletas que se inscreveram no Pan-Americano, Filipe Faria – dirigente da IBJJF/CBJJ – garantiu que, um a um, todos estão recebendo o dinheiro de volta. Além disso, ele contou que a organização estuda uma data para realizar o campeonato ainda em 2020, mas nada certo por enquanto.

“Todas as inscrições estão sendo ressarcidas automaticamente, mas como esse processo precisa ser feito de um a um, ainda vamos levar alguns dias para terminar todos os cancelamentos. As coisas se normalizando, sim, temos em mente de fazer o evento em uma data futura em 2020, mas no momento não dá para prever quando teremos condições de remarcar o Pan sem riscos”, concluiu Filipe.

Circuito mundial da AJP

O circuito mundial de Grand Slam da AJP Tour chegou ao fim no começo de março, em Londres (ING), e foi o primeiro grande evento de Jiu-Jitsu impactado pelo coronavírus. Por recomendação, a competição acabou disputada com portões fechados e todos os atletas limitados a ter um acompanhante. O encerramento do calendário 2019/2020 seria justamente no World Pro, cancelado até segunda ordem, e em entrevista à TATAME, Rodrigo Valerio, executivo da federação árabe, comentou a situação e uma possível nova data.

“No momento, ainda não há data confirmada para a realização do World Pro 2020. A AJP e a UAEJJF estão atentamente monitorado em conjunto dada a situação em constante mudança em todo o mundo do coronavírus. Ainda não houve muita discussão sobre uma nova data, porque não há muito o que possamos fazer. Está nas mãos das pessoas que são especialistas e devemos anunciar novas datas assim que for possível. As duas entidades seguirão as determinações dos órgãos de saúde pública locais, mas existe grande possibilidade de se encaixar o World Pro na segunda ou terceira semana de novembro”.

Grand Slam de Londres aconteceu com os portões fechados (Foto Ane Nunes / AJP)

Dona do circuito mais rentável do cenário atual, que garante boas premiações em dinheiro aos lutadores, Valerio afirmou que a AJP vai congelar seu ranking e projetou alterações para o início da temporada 2020/2021: “A próxima temporada está marcada para começar na primeira semana de maio. Até lá, a AJP vai monitorar a situação e seguir as determinações das autoridades de saúde pública dos locais onde existem competições agenciadas por nós. Tudo o que pode ser feito no momento é seguir as diretrizes das pessoas que realmente entendem do assunto”, disse o executivo brasileiro, que ainda completou.

“Estamos focados em como o coronavírus está afetando membros da AJP e faremos algumas atualizações importantes em nosso regulamento para dar estabilidade e ainda mais confiabilidade aos futuros eventos e ranqueamento dos atletas. Especificamente para esse ano, pausaremos o ranking 2019/2020. Para evitar qualquer incerteza por parte dos atletas sobre a situação do ranking atual e como eles ficariam, faremos um congelamento da pontuação. Todos estarão resguardados e salvos com suas posições atuais. Os convites para o World Pro 2020 também seguirão os pontos do ranking da temporada 2019/2020 até o momento em que foi interrompida. Após o World Pro, teremos a premiação dos melhores da temporada”.

E os outros eventos?

Além de IBJJF/CBJJ e AJP/UAEJJF, outras federações, como a SJJIF – que atua internacionalmente -, também foram impactadas. É o caso das organizações regionais, como FJJD-Rio, FPJJ e SJJSAF, que adiaram os seus próximos eventos. Os torneios de luta casada pelo mundo, que acontecem de forma regular, vivem situação semelhante. O Fight 2 Win, por exemplo, teve suas próximas edições suspensas. Já o BJJ Stars, que está programado para o dia 25 de abril, em São Paulo, ainda segue de pé. Fepa Lopes, presidente, informou à TATAME que a companhia vai seguir observando os desdobramentos antes de tomar alguma atitude.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade