Adesanya chama Yoel Romero de ‘dançarino de merengue’, e cubano rebate: ‘Você correu a luta inteira’

Publicado em 09/03/2020 por: Mateus Machado
Adesanya chama Yoel Romero de ‘dançarino de merengue’, e cubano rebate: ‘Você correu a luta inteira’ Israel Adesanya venceu Yoel Romero em duelo bem criticado pelos fãs e pela mídia (Foto reprodução YouTube)

publicidade

Cercada de expectativa, a luta entre o campeão peso-médio Israel Adesanya e o desafiante Yoel Romero, pelo main event do UFC 248, realizado no último sábado (7), decepcionou os fãs de MMA. O nigeriano saiu vencedor por decisão unânime e manteve o título da categoria em sua posse, no entanto, recebeu vaias dos torcedores presentes na T-Mobile Arena, em Las Vegas (EUA), e apesar de reconhecer que seu desempenho esteve longe de ser satisfatório, também jogou a responsabilidade para o seu oponente.

Em entrevista coletiva aos jornalistas após o evento, Israel Adesanya deixou claro que foi para o combate no sábado disposto a entregar uma boa luta aos fãs, mas criticou a postura apresentada pelo rival cubano durante o confronto, ressaltando que o veterano de 42 anos de idade foi para “dançar merengue”.

“Não foi a luta que eu queria ter. Eu tinha uma visão diferente de como essa luta iria acabar, mas eu não posso forçar um cara a lutar. Eu posso forçá-lo a cometer erros, que eu fiz um pouco expondo as pernas dele no fim. Mas, para mim, se um cara para ali pelos primeiros dois minutos e só levanta as mãos, esperam que eu arrisque meu cinturão e seja atingido por ele, o que aconteceu. Este é um movimento ruim e eu recuei para o que eu faço melhor. Mas sim, foi muito bizarro, porque eu esperava um pouco mais. Eu vim pra lutar, ele para dançar merengue”, disse o campeão, que ainda afirmou não ter mais respeito por Yoel.

“Eu, definitivamente, perdi o respeito por ele. Definitivamente perdi o respeito para o que achava que seria um desafio muito difícil de superar. Teria sido muito legal fazer o que eu queria fazer, que era finalizar ele, e eu tinha minhas estratégias na cabeça. Mas ele tinha outros planos e só parou lá com sua guarda alta. Acho que uma das táticas dele é te entediar. Ele fez isso com muitos caras. Ele só para lá, te deixa entediado e então você está esperando alguma coisa, perde a concentração por meio segundo ou um e ele pega você. Esta foi provavelmente sua única esperança para a luta. Mas como eu disse, veja meu currículo. Se você não me viu lutar antes, confira meu currículo e veja como eu acabo com estes caras”, afirmou.

Romero rebate Adesanya

Mesmo derrotado por Israel Adesanya após cinco rounds de duelo, Yoel Romero saiu aplaudido por boa parte dos torcedores presentes no ginásio em Las Vegas (EUA). Ainda no octógono, ao ser perguntado sobre seu desempenho na luta principal do UFC 248, o cubano acusou o campeão peso-médio de “correr” durante todo o confronto, no sentido de evitar uma disputa pautada na trocação franca.

“Essa é a minha vitória (se referindo aos aplausos dos torcedores). Não aqui (aponta para o octógono), mas aqui (aponta para os torcedores), essa é a minha vitória. Eu tenho uma pergunta para todos aqui. Eu tenho um grande respeito por todos, por todos os atletas. Mas minha pergunta é: ‘Este é o campeão do UFC que nós e todos vocês queremos?’. Não, nós queremos lutar. Queríamos uma luta selvagem, é o que queremos ver aqui. As pessoas querem ver a verdadeira luta. Ele está correndo, correndo e correndo. Isso não é atitude de um grande campeão. O grande campeão fica no meio do octógono, vai pra luta. As pessoas pagam pay-per-view por uma luta real, não por isso. Os lutadores precisam respeitar o que as pessoas pagam. As pessoas pagam porque querem ver uma boa luta, não por isso. É por isso que venho aqui. Você precisa ter respeito pelas pessoas. As pessoas trabalham muito e pagam pay-per-view pelo quê? Pela luta. Aqui é proibido correr. Se você quer ver alguém correndo, vá ver o Usain Bolt”, disparou Yoel Romero.

 

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade