Após sofrer extorsão por conta de vídeo íntimo, presidente do UFC é processado por ‘quebra de acordo’

Publicado em 06/04/2020 por: Yago Redua
Após sofrer extorsão por conta de vídeo íntimo, presidente do UFC é processado por ‘quebra de acordo’ Dana White, presidente do UFC, quer voltar a programação do Ultimate em breve (Foto: Reprodução/ YouTube)

publicidade

No último fim de semana, Dana White, presidente do UFC, virou figura central em um processo de extorsão no Tribunal Distrital de Clark County, em Nevada (EUA), segundo o Las Vegas Review-Journal. A ação foi movida por Ernesto Joshua Ramos e tem como base a “quebra de acordo” por conta de um vídeo íntimo de Dana com uma dançarina do clube Spearmint Rhino, em Vegas.

Em 2014, após começar a namorar com a dançarina – que fez a filmagem sem a permissão de Dana -, Ernesto passou a ameaçar o empresário, afirmando que iria publicar o vídeo entre os dois. Ramos, que já cumpriu 336 dias de prisão pela chantagem, desta vez alega que o presidente do Ultimate quebrou o acordo que lhe pagaria US$ 450 mil – para que o mesmo não publicasse o conteúdo nas redes sociais.

O vídeo de Dana com a mulher foi gravado supostamente no Brasil. O homem trocou mensagens com o presidente do UFC e acabou sendo preso. Em troca da confidencialidade, Ernesto afirma que assinou um documento do FBI se declarando culpado. O vídeo também foi destruído como parte deste “acordo”.

Neste novo processo, Ernesto pede uma indenização superior a US$ 65 mil pela quebra de acordo após Dana não lhe pagar o combinado de US$ 450 mil. Em entrevista ao mesmo jornal que revelou o caso, o dirigente se mostrou espantando com a ação e garantiu que não irá pagar nenhum valor.

“Eu acabei de descobrir que este processo de me*** foi colocado contra mim. Este cara foi preso por tentar me extorquir cinco anos atrás. Agora ele contratou um advogado que também é um criminoso condenado e está tentando me extorquir de novo por US$ 10 milhões. Ele não tirou nenhum dinheiro de mim da última vez e não vai tirar nenhum dinheiro de mim agora. Estou ansioso para que o tribunal rejeite isso rapidamente, para que eu possa me livrar desses desgraçados para sempre” disparou Dana ao jornal.

Neste processo de 2015, que prendeu Ernesto, Dana teve a identidade mantida sob sigilo pela Justiça.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade