Lutadora do BRAVE CF faz jus ao apelido, imobiliza e entrega assediador à polícia em Mato Grosso: ‘Não poderia deixá-lo à solta’

Publicado em 28/04/2020 por: Mateus Machado
Lutadora do BRAVE CF faz jus ao apelido, imobiliza e entrega assediador à polícia em Mato Grosso: ‘Não poderia deixá-lo à solta’ Maria Ribeiro resolveu agir por conta própria contra um assediador em Sinop, Mato Grosso (Foto BRAVE CF)

publicidade

Lutadora do BRAVE CF, Maria Ribeiro ficou frente a frente com um insólito oponente, mas não titubeou, virou o jogo e conquistou uma grande vitória. Desta vez, o triunfo da brasileira veio em nome das mulheres de Sinop, no Mato Grosso, que se viram livres de um assediador. Maria estava se preparando para deixar sua casa rumo a um supermercado local, quando um homem começou a mostrar sua genitália para ela e para sua cunhada.

Atleta da CM System, a “Mulher Maravilha” honrou o apelido dado pelos colegas de treino em Curitiba, correu atrás do assediador, o imobilizou e chamou a polícia, que o recolheu. Maria tem procurado respeitar o período de quarentena, e só saiu de casa pois iria fazer compras. Ela confessou que se sentiu compelida a agir tendo em vista que vive em um bairro com muitas crianças, incluindo seu sobrinho e sobrinha, e que o homem poderia se expor no futuro a uma delas: um problema sério.

“A gente estava se preparando para ir no mercado, eu e minha cunhada, quando um homem desceu da bicicleta e começou a mostrar sua genitália pra mim, fazendo alguns gestos. Nós o xingamos, mas não foi o suficiente. Quando ele fugiu, nós pegamos o carro e fomos atrás dele. Quando o alcançamos, ele resistiu, mas o imobilizei e esperei a polícia chegar. Tenho sobrinhos e sobrinhas na família, a nossa região é cheia de parques e muitas crianças brincam nas ruas. Não poderia deixá-lo à solta”, descreveu Maria, prosseguindo:

“Ele tentou se desvencilhar, disse que estava tirando uma carne da própria calça. Mas nós temos testemunhas. Eu imagino o que nós mulheres passamos todos os dias, e fiz isso por elas também. Não poderia dormir em paz se soubesse que eu deixei esse cara andando por aí quando poderia ter feito alguma coisa. Houve uma pequena comoção logo antes de a polícia chegar e todas as mulheres estavam me agradecendo, torcendo por mim. Recebi várias mensagens de mulheres da área e isso foi muito legal”, disse.

Maria tem uma vitória e uma derrota pela organização do BRAVE CF. Suas duas lutas foram disputadas na Índia – ela abriu os trabalhos com um triunfo por nocaute em menos de um minuto sobre Micol di Segni e, um ano depois, foi derrotada por decisão contra Karolina Wojcik. Agora, ela aguarda seu próximo desafio.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade