Bia Mesquita questiona se Brasileiro e Mundial vão acontecer em 2020, e analisa o impacto: ‘Virou uma bola de neve’

Publicado em 29/04/2020 por: Yago Redua
Bia Mesquita questiona se Brasileiro e Mundial vão acontecer em 2020, e analisa o impacto: ‘Virou uma bola de neve’ Experiente Bia Mesquita é uma das principais lutadoras de Jiu-Jitsu da atualidade (Foto divulgação IBJJF)

publicidade

* Campeã ouro duplo do Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu em 2019, a faixa-preta Bia Mesquita tem propriedade para falar sobre a competição da CBJJ, que deveria estar acontecendo nesta semana, em Barueri, São Paulo, mas por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) acabou cancelada – ainda sem uma data estabelecida para acontecer.

Em entrevista à TATAME através de uma live no Instagram, a faixa-preta da Gracie Humaitá disse que ficou um pouco perdida com o início da quarentena e comentou como tem enfrentado esse momento delicado.

“O coronavírus veio devastador, como uma pandemia, é algo muito grande. O pior pra mim tem sido não ter os campeonatos, mais do que isso é saber como vai voltar e quando vai voltar. Nós, que somos atletas de ponta, estamos acostumados a nos programar de acordo com os calendários da IBJJF e AJP Tour. Estamos sempre assimilando os campeonatos para conhecer novos lugares, fazer seminários e etc. Nos baseamos nisso. Não sabendo como isso vai ficar, tem me afetado bastante, pelo fato de eu treinar e viver disso. Quando começou a quarentena, eu fiquei: ‘Caramba, o que eu vou fazer agora?’ Fiquei meio que perdida. Estamos acostumados com esse ciclo constante de competições”, contou a casca-grossa.

Além da ausência do Brasileiro, outros importantes torneios de Jiu-Jitsu também foram cancelados como o Pan, Mundial e o World Pro. Por isso, a atleta tem dúvidas sobre um reagendamento desses eventos para 2020 e como será para retornar aos treinos em um esporte que é marcado pelo alto contato físico.

“Será que vai ter Mundial ainda? Será que vão ter só os campeonatos sem quimono? Será que vai voltar só ano que vem? Isso tem afetado bastante até para as empresas que patrocinam os atletas. Virou uma bola de neve, principalmente para nós que temos um esporte de contato, não sabemos como vai ser quando liberarem essa quarentena. A galera que ama muito o Jiu-Jitsu vai voltar, mas a maioria dos alunos não sabemos se eles vão querer voltar ou vão ficar com receio. Estamos grudados, respirando e suando um em cima do outro. É uma situação de risco, infelizmente”, frisou a multicampeã, que ainda completou:

“Tem muita gente que está começando, atrás do sonho. Se não tem campeonato, a pessoa não tem resultado para buscar um patrocínio. E aí, ela acaba tendo que fazer outra coisa”.

Em 2019, IBJJF e CBJJ começaram a pagar os finalistas das divisões na faixa-preta adulto no Mundial e Brasileiro, respectivamente. Bia apontou que esse “incentivo” fará falta para alguns competidores, assim como a questão dos patrocinadores, que podem abrir mão do apoio durante o momento de crise.

“Tem muita gente que precisa dessa questão de competição para mostrar resultado para o patrocinador, para ganhar a grana para viajar e disputar outros torneios. Tem uma galera que ganha uma renda extra fazendo seminários e esse dinheiro, às vezes, não é extra, é a renda mesmo da pessoa. Depois que passar a pandemia, não acho que estará tão em alta seminário, porque não vai ser todo mundo que terá grana pra investir. Acho que o pessoal estará pensando muito mais em se restabelecer financeiramente”, concluiu.

Ainda na entrevista, Bia comentou sobre como tem feito para manter a forma durante a quarentena, seu foco em seguir no topo do Jiu-Jitsu e o objetivo de migrar para o MMA em um futuro próximo.

Confira abaixo o vídeo da entrevista completa com Bia Mesquita:

* Por Yago Rédua

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade