A tentativa do Ultimate em voltar a realizar seus eventos em meio à pandemia global do coronavírus ganhou um novo capítulo na última sexta-feira (17). Presidente da organização, Dana White promoveu ontem uma teleconferência com os lutadores da franquia e anunciou que a companhia pretende realizar eventos semanais a partir do dia 9 de maio, sem confirmar o local onde as edições serão realizadas.

* Dana garante não medir esforços para reiniciar cards do UFC: ‘Disposto a gastar dinheiro pra isso’

A teleconferência foi aberta somente aos atletas do UFC e os sites MMA Fighting e MMA Junkie tiveram acesso ao que foi tratado na reunião de acordo com conversas que tiveram com alguns lutadores. Além de revelar seu plano de voltar a realizar eventos a partir de maio, Dana também afirmou que a intenção de promover edições na “Ilha da Luta” é real, confirmando ainda que os atletas não precisar de vistos de entrada, levando-se em conta que a ilha se encontra em “águas internacionais”, sendo assim, fora do território de um país. O mandatário espera ter a ilha à disposição para realização dos duelos entre o final de maio e o início de junho.

* Dana afirma que utilizará sua ilha particular e avião privado para a realização de eventos do UFC

Outra revelação feita por Dana White é que o Ultimate está em conversas com oficiais do governo do estado de Nevada para que seja possível realizar eventos na grandiosa estrutura da organização, o UFC Apex, situado em Las Vegas, afirmando que deverá se reunir com o governador do estado, Steve Sisolak, para tratar sobre essa possibilidade. Vale ressaltar que a Comissão Atlética de Nevada proibiu a realização de eventos de MMA desde o dia 14 de março. Além disso, cassinos e hotéis do estado encontram-se fechados, e os moradores encontram-se em quarentena, com ordens para permanecerem em casa.

* Dana planeja edição grandiosa em maio e show contaria com três disputas de cinturão; detalhes

Por fim, o presidente do Ultimate afirmou que, apesar da “Ilha da Luta” estar sendo desenvolvida para fazer com que lutadores de outros países possam lutar, os americanos também poderão fazer parte dos eventos. Dana também colocou-se à disposição para ajudar os atletas que estejam em situação de dificuldade durante o atual momento de pandemia.