Tatá Duarte cita ‘desastre total’ com lutas canceladas e pede união durante a pandemia: ‘Movimento fundamental’; veja

Publicado em 23/04/2020 por: Diogo Santarém
Tatá Duarte cita ‘desastre total’ com lutas canceladas e pede união durante a pandemia: ‘Movimento fundamental’; veja Tatá Duarte (de camisa branca do UFC) falou sobre o impacto da pandemia na TFT (Foto reprodução)

publicidade

* Um dos responsáveis pela Escola de Lutas TFT, no Rio de Janeiro, o casca-grossa Tatá Duarte também vem tendo que se virar para lidar com os problemas causados pelo novo coronavírus (Covid-19). Com a academia de portas fechadas, Tatá revelou em entrevista à TATAME que ele e Philip Lima, seu sócio, estão ajudando o pessoal com rifas, doação de cestas básicas e outras maneiras.

LEIA A TATAME #260 ONLINE, AQUI

“Eu e o Philip estamos ajudando o pessoal da forma que dá, com rifas, doação de cestas básicas, o próprio Luis Henrique KLB fez também, e assim vamos ajudando um ao outro. Estou com a academia fechada, mas mantive os funcionários fixos, que também são atletas profissionais, vieram para o Rio atrás do sonho de ser lutador, e botei na cabeça que não vou demitir os caras. O resto era professor avulso, que usava o espaço para dar aula particular, mas se precisarem e pudermos, vamos ajudando. Virou uma guerra”, contou Tatá.

Além do impacto financeiro, Tatá Duarte também destacou o lado esportivo, com muitas lutas canceladas e os atletas sem poder treinar corretamente por conta do período de quarentena: “O cancelamento das lutas para esses garotos foi um desastre total. Além da preparação esportiva, investimento de tempo, eles também necessitam do dinheiro. É uma fonte de renda que deixa de existir. A dica que eu passei nesse momento é para eles seguirem ativos, principalmente no mental. Eu tenho feito muito isso, porque além dos meus problemas, abraço os problemas desses garotos”, disse o gestor e treinador, que completou.

“Tínhamos vários atletas com luta marcada, pessoal no meio de camp, e fomos pegos de surpresa com isso tudo. Teve gente que investiu dinheiro pra vir de fora do Rio de Janeiro pra cá (na TFT), gente que gastou com suplemento, alimentação, hospedagem e tudo mais. O KLB, por exemplo, ia fazer a luta principal do Ares FC e faltando três semanas para viajarmos, o evento foi cancelado. É bastante complicado”.

Por fim, Tatá falou sobre a importância dos alunos que podem continuarem pagando as mensalidades, um movimento que vem sendo adotado em muitas academias, e deu um exemplo pessoal, citando seus filhos.

“Esse movimento (de união) é fundamental. Eu tenho dois filhos pequenos e sigo pagando as atividades que eles fazem para ajudar os professores, mas nem todo mundo pode, ou alguns podem mas não têm esse pensamento de ajudar o próximo. Na TFT alguns alunos tiveram essa iniciativa, sou muito grato a eles, mas a grande maioria não aderiu a ideia. Acho que vai demorar um pouco para o pessoal retornar, a vida voltar ao normal, então estou me segurando, mas muitos infelizmente não têm uma reserva”, encerrou.

* Por Diogo Santarém

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade