Coluna da Arte Suave: os benefícios do Jiu-Jitsu como uma filosofia de vida dentro e fora dos tatames; saiba mais sobre

Publicado em 26/05/2020 por: Diogo Santarém
Coluna da Arte Suave: os benefícios do Jiu-Jitsu como uma filosofia de vida dentro e fora dos tatames; saiba mais sobre Luiz Dias falou sobre a aplicação do Jiu-Jitsu como filosofia de vida (Foto divulgação)

publicidade

* Na semana passada, recebi um convite para fazer uma live para a “Ahua”, marca de pranchas de Portugal que gosta de unir sua imagem com estilos de vida que consideram saudáveis. Na live, o que mais me perguntavam era como ter o Jiu-Jitsu como um estilo de vida, uma filosofia. Muitas perguntas sobre como era ter o Jiu-Jitsu sendo o meu caminho principal. Eu respondia dizendo que quando você percebe o Jiu-Jitsu como um transformador da sua mente e os benefícios que ele traz na qualidade de vida, você acaba tendo ele cada vez mais presente.

O Jiu-Jitsu te traz cada vez mais calma, já que no treino é preciso pensar sob pressão. A perspectiva do próximo treino, ou a chegada de um campeonato, sempre te deixam focado na sua alimentação, no seu peso. A cada treino você evolui, tanto físico, como mental. Eu creio que é uma das principais motivações para a sua evolução no Jiu-Jitsu e na vida pessoal, e assim você vai agindo num todo. Você aprende a ter foco e respeitar o seu adversário de treino, na competição em que estiver, mas pensar nas possibilidades e estratégias que acabamos usando em situações profissionais, e até mesmo em nossas vidas pessoais.

O Jiu-Jitsu “mental” está dentro de cada um de nós. Eu aplico esse “Jiu-Jitsu mental” direto. Nos treinos as faixas podem mostrar o tempo que cada um treina, mais não é marcador de quem vai ganhar. Um lutador pode ser mais agressivo, outro lutador pode ser mais defensivo, mas é no decorrer da luta que o resultado se desenha. E muitas vezes surpreendem a todos. Quantos de nós já não vimos lutas que o resultado foi inesperado? Será que o lutador perdeu o foco da luta, ou melhor nem entrou na luta? Enquanto isso aquele outro lutador, consciente de suas limitações e/ou sabedor da superioridade de seu adversário, lutou focado, respeitando o oponente, mais atento ao momento presente da luta e percebendo a hora exata de uma raspagem ou finalização. Acreditando que também poderia vencer a disputa.

Acredito ser um fator importante a autoconfiança. Estar atento é o primeiro passo para estarmos sempre aprendendo e evoluindo na nossa arte suave. E dentro desse princípio na nossa vida pessoal. Conheço lutadores que se colocam como se não tivessem mais nada a aprender. Eu acredito que o aprendizado é constante. Quando você está de mente vazia, ela pode ser receptiva e aprender novas posições, perceber novas possibilidades apresentadas por outro lutador. Sempre escuto e presto atenção quando outros me mostram posições, porque pode ser um detalhe muito importante.

Às vezes aquele lutador mais quieto, ou que você não conhece, pode te mostrar uma excelente técnica. Já presenciei em campeonatos vitórias de atletas que nem torcida tinham. Treine e conduza a sua vida usando o Jiu-Jitsu como inspiração, sempre com a mente aberta, com respeito, ou a lição pode vir com um gosto amargo. Mesmo nesses dias difíceis, não podemos desistir dos nossos focos. A luta só acaba quando o árbitro sinaliza o fim do combate ou um dos lutadores dá os três tapinhas. Bons treinos.

Para mais informações, veja https://www.instagram.com/luizdiasbjj/ ou entre em contato pelo e-mail geracao.artesuave@yahoo.com.br. Também conheça o http://www.geracaoartesuave.com.br/. Oss!

* Por Luiz Dias

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade