Com duelo contra Tyron Woodley oficial, Gilbert Durinho destaca: ‘Uma boa vitória me leva à disputa de cinturão’

Publicado em 20/05/2020 por: Mateus Machado
Com duelo contra Tyron Woodley oficial, Gilbert Durinho destaca: ‘Uma boa vitória me leva à disputa de cinturão’ Gilbert Durinho terá pela frente o ex-campeão Tyron Woodley na luta principal do UFC on ESPN 9 (Foto reprodução)

publicidade

* Agora é oficial. Depois de semanas de negociação, o duelo entre Tyron Woodley e Gilbert Durinho foi finalmente confirmado e acontecerá no próximo dia 30 de maio, na luta principal do UFC on ESPN 9, que ainda não tem local definido. Vivendo a melhor fase de sua carreira, com cinco vitórias consecutivas – a última por nocaute ainda no primeiro round sobre Demian Maia -, Durinho terá pela frente um ex-campeão da divisão meio-médio e, em caso de um novo triunfo, pode se aproximar de vez da tão sonhada disputa de cinturão.

Em sexto lugar no ranking dos meio-médios, o brasileiro vai enfrentar o atual número 1 da categoria, que está atrás apenas de Kamaru Usman, campeão linear. O americano, que em sua última luta, em março do ano passado, foi derrotado justamente por Usman, é o maior desafio da carreira de Gilbert até o momento. Em entrevista à TATAME, o faixa-preta de Jiu-Jitsu, mostrando empolgação com a grande oportunidade recebida por parte do Ultimate, analisou de que maneira um triunfo sobre Tyron pode levá-lo ao title shot.

“Uma vitória contra o (Tyron) Woodley me coloca muito bem na categoria, mas depende muito de como for. Se for um nocaute, uma finalização ou eu amassar o cara em todos os rounds, isso me colocaria em uma luta pelo cinturão. Mas se for uma vitória em uma luta morna, mais amarrada, pode ser que eu tenha que fazer mais uma luta antes da disputa de título. Então, depende da performance”, disse o lutador de 33 anos.

Confira a entrevista com Gilbert Durinho na íntegra:
 
– Demora e expectativa até a confirmação do confronto

Demorou um pouco para essa luta ser confirmada, mas na verdade, os primeiros dois eventos foram cancelados e o Tyron Woodley, com razão, por ser o número 1 da categoria e ex-campeão, queria lutar contra o Colby (Covington). Demorou bastante para acertar tudo, mas tem umas três semanas que a luta foi fechada, e oficializou segunda à noite, quando o contrato foi assinado. Quando chega num certo nível, o pessoal procura uma luta que possa vender mais, que alcance um público maior, então entendo a demora.

– Outras opções além do Woodley para a próxima luta

O Tyron Woodley, sem dúvida, foi a melhor opção. Durante esse período desde a minha última luta, surgiu o nome do Michael Chiesa, mas na questão de experiência, de ranking, e também para a minha carreira, uma luta contra o Woodley é muito melhor. É muito mais perigosa, é um ex-campeão, um cara duríssimo, mas ao mesmo tempo, é uma luta que me credencia muito, um duelo muito mais interessante. Uma vitória contra o Tyron Woodley me coloca na ‘boca do cinturão’, então, sem dúvida alguma, ele foi a melhor opção.

– Subida de patamar dentro da divisão meio-médio

Eu já venho treinando para esse momento há muito tempo, não é de hoje. Durante toda a minha carreira eu venho trabalhando para isso, mas nos últimos três anos, foi onde eu foquei bastante, adaptei muita coisa no meu treinamento e sabia que esse momento iria chegar, já estava preparado para isso, a vitória contra o Demian Maia, da maneira que foi, comprova isso. Eu acho que estou num bom momento e venho me preparando demais para lutar contra um cara como o Tyron Woodley. Minhas performances estão falando por si só. Eu venho pedindo luta, venho ganhando bem, me apresentando cada vez melhor. Estão me dando oponentes mais duros, mas ao mesmo tempo, minhas performances estão cada vez melhores também, então eu acredito que estou justificando sim essa ‘aposta’ por parte do UFC.

– Pontos fortes e fracos do jogo do Tyron Woodley

Ele tem um jogo onde contra-ataca bastante, espera muito. É um cara bem forte fisicamente, tem uma direita muito forte e um bom Wrestling. Eu sou um cara que está melhorando cada vez mais na luta em pé, também tenho as duas mãos bem pesadas, tenho nocautes com a esquerda e a direita, e venho trabalhando bastante as partes de Kickboxing, Wrestling e Jiu-Jitsu. Também me acho fisicamente muito forte para a categoria. Eu acabei de subir para a divisão, mas eu já sou meio-médio há muito tempo, apenas fazia a loucura de descer de categoria, mas eu me acho muito forte para lutar no meio-médio. O Woodley possui umas brechas que pretendo explorar bastante, mas eu acho uma luta bem equilibrada. Nós dois temos pontos bem fortes e eu vou trabalhar os meus, meu Jiu-Jitsu, Kickboxing e Wrestling. Vai ser um lutão, o jogo bate e eu tenho muita coisa positiva para apresentar. É um grande desafio e estou muito confiante.

– Aproximação da disputa de título em caso de vitória

Uma vitória contra o (Tyron) Woodley me coloca muito bem na categoria, mas depende muito de como for. Se for um nocaute, uma finalização ou eu amassar o cara em todos os rounds, isso me colocaria em uma luta pelo cinturão. Mas se for uma vitória em uma luta morna, mais amarrada, pode ser que eu tenha que fazer mais uma luta antes da disputa de título. Então, depende da performance. Um bom desempenho me coloca em um ótimo lugar para a próxima luta, mas não dá para colocar a carroça na frente dos bois (risos), vamos trabalhar até essa luta, fazer essa reta final de preparação e ter uma ótima performance.

* Por Mateus Machado

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade