Depois de triunfo no UFC 249, Vicente Luque cogita luta contra Anthony Pettis: ‘Seria uma boa possibilidade’

Publicado em 21/05/2020 por: Mateus Machado
Depois de triunfo no UFC 249, Vicente Luque cogita luta contra Anthony Pettis: ‘Seria uma boa possibilidade’ Vicente Luque analisou combate contra Randy Brown, em agosto (Foto reprodução Instagram @luquevicente)

publicidade

* Realizado no dia 9 de maio, em Jacksonville (EUA), o UFC 249 marcou o retorno do Ultimate às atividades em meio à pandemia global do novo coronavírus. Um dos destaques da edição foi Vicente Luque, que com uma boa atuação, derrotou Niko Price por nocaute técnico no terceiro round após interrupção médica e recuperou-se da derrota sofrida para Stephen Thompson. Agora em 13º no ranking da divisão meio-médio, o brasileiro já pensa em seus próximos passos na categoria.

Em entrevista à TATAME, o lutador brasiliense ressaltou que está à disposição para enfrentar qualquer adversário que esteja ranqueado no Top 15/Top 10 dos meio-médios, mas citou o nome de Anthony Pettis como um possível desafio para sua próxima apresentação no octógono. O ex-campeão dos leves, vale ressaltar, também lutou no card do UFC 249, vencendo Donald Cerrone por decisão unânime dos jurados.

“Não tenho uma preferência por nome, acho que estou preparado para enfrentar todos os caras do ranking. Porém, um cara que faria sentido é o Anthony Pettis. Ele lutou no mesmo dia que eu, estamos vindo de vitória, somos dois trocadores, sempre fazemos lutas animadas, então seria uma boa possibilidade”, disse.

Confira a entrevista completa com Vicente Luque: 

– Sensação de lutar no evento de retomada do Ultimate

Pra mim foi uma honra fazer parte desse evento, uma edição grandiosa, não só pelo card, mas também por representar o retorno do UFC no meio de toda essa pandemia. Foi uma grande oportunidade e eu senti que o Ultimate está fazendo tudo o que é necessário no momento. Eu me senti muito seguro, fizemos os exames para coronavírus e eles ficavam sempre checando o nosso estado. O isolamento social também foi muito bem feito, eu só tive contato com meu adversário no momento da encarada e na hora da luta. Não vi quase nenhum dos outros lutadores que estavam lá, então sinto que o UFC está tomando todas as medidas.

– UFC como exemplo para o retorno de outras companhias

Eu acho que o UFC, com certeza, está sendo um exemplo de como se pode fazer eventos de uma maneira segura. Eles tomaram várias precauções e tudo que era necessário para fazer os eventos da maneira certa. Acho que outros eventos podem ter o UFC como exemplo para poder seguir. O MMA é diferente, porque é um esporte individual, então dá para limitar e muito a quantidade de pessoas, o que facilita.

– Avaliação do triunfo no terceiro round sobre Niko Price

O Niko Price veio bem preparado para essa luta. Era uma revanche, então eu sabia que ele estaria com muita vontade e ele veio de forma bem agressiva. Não me surpreendeu, eu já esperava que seria uma luta de muita ação, porque nós temos um estilo agressivo, vamos pra cima, e a luta refletiu isso o tempo todo. Percebi que ele evoluiu, principalmente na parte de chutes, e surpreendeu com um frontal que me acertou no primeiro round, mas tirando isso, sinto que tive uma boa performance, acho que consegui dominar boa parte da luta e defini com aquele cruzado no último round. Fiquei muito feliz com o resultado.

– Desafios para manter a forma física em meio à pandemia

Para essa luta, me senti 80% do que eu consigo chegar normalmente. Eu não estava no meu melhor, mas estava muito próximo disso. Eu foquei bastante no condicionamento, no preparo físico, porque eu acho que nesse momento, é a coisa que mais temos que nos preocupar, pois se não fizermos os treinos necessários, o gás cai, e se você cansar na luta, é um problema grande, ainda mais numa luta como a minha, que durou três rounds. Foquei bastante nisso. Não foi o camp ideal, mas eu acho que consegui ajustar bem no final.

– Adversário ideal para o seu próximo desafio no UFC

Agora, o foco é lutar contra alguém ali do Top 15, de preferência até dentro do Top 10. Não tenho uma preferência por nome, acho que estou preparado para enfrentar todos os caras do ranking. Porém, um cara que faria sentido é o Anthony Pettis. Ele lutou no mesmo dia que eu, estamos vindo de vitória, somos dois trocadores, sempre fazemos lutas animadas, então seria uma boa possibilidade para minha próxima luta.

* Por Mateus Machado

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade