Donald Cerrone admite ‘dificuldade’ em lidar com derrota relâmpago para Conor McGregor: ‘Eu não queria estar lá’

Publicado em 01/05/2020 por: Mateus Machado
Donald Cerrone admite ‘dificuldade’ em lidar com derrota relâmpago para Conor McGregor: ‘Eu não queria estar lá’ Donald Cerrone relatou dificuldade em lidar com a derrota para Conor McGregor (Foto reprodução)

publicidade

Recordista em número de vitórias na história do Ultimate, com 23 triunfos contabilizados, Donald Cerrone é um dos lutadores mais populares da organização e possui uma legião de fãs, mas assim como todo atleta de alto nível, tem suas frustrações. A maior delas para o “Cowboy” aconteceu em janeiro deste ano, quando foi nocauteado em apenas 40 segundos por Conor McGregor na luta principal do UFC 246.

De suas 14 derrotas sofridas no MMA profissional, Cerrone não esconde que o revés para o irlandês foi o mais “doloroso”. Em entrevista à ESPN, o americano revelou que cogitou sua aposentadoria do esporte e chegou a dar uma pausa em seus treinos, algo que, segundo ele, ainda não tinha acontecido durante toda a sua carreira. Além disso, Donald afirmou que sentiu “pena” de si mesmo.

“É difícil, cara. É difícil se preparar para algo assim e ver tudo acabado em 40 segundos. Eu nem me importo com as pessoas por aí (criticando seu desempenho na luta contra McGregor), mas internamente, no meu pessoal, é difícil lidar com isso. Eu não sei. Não tenho desculpas. Isso é péssimo. Normalmente, eu volto lá (para a academia depois de uma luta). Dessa vez, eu não fiz isso. Eu meio que senti autopiedade. O Donald apareceu (na luta contra McGregor), mas o Cowboy não estava lá. O cara errado apareceu. Eu não queria estar lá. A maior luta da minha carreira, toda a atenção (do público), minha hora de brilhar, e eu não queria estar lá. Era uma loucura. Dois dias antes da luta eu já sentia isso, não sei explicar muito bem em palavras. É como estar em algum lugar que você não quer estar, é complicado”, narrou o lutador.

Apesar do duro relato, Cerrone se recuperou e, no próximo dia 9 de maio, enfrentará Anthony Pettis no card do UFC 249, em Jacksonville, na Flórida (EUA). Aos 37 anos, ele garante ter recuperado sua motivação, a ponto de brincar e falar que quer lutar nos três próximos eventos do UFC, marcados para 9, 13 e 16 de maio.

“Este é quem eu sou, eles me chamando e eu lutando em duas semanas, é quem eu sou. Então, eu me sinto bem… Eu vou entrar lá, vencer essa luta e dizer ‘Ei, Dana, você tem alguém na fila para quarta-feira (dia do evento13 de maio)?’ Serei o primeiro lutador a vencer três lutas em uma semana. Estou ficando velho, consigo sentir isso. Não posso mais acompanhar esses jovens. Não estou falando de aposentadoria agora, mas costumava ver o fim como algo distante, agora eu já posso ver isso. Provavelmente eu tenho mais alguns anos (de carreira), e isso está pressionando. Então, eu vou lutar o máximo que eles deixarem”.

CARD COMPLETO:

UFC 249
Jacksonville, na Flórida (EUA)
Sábado, 9 de maio de 2020

Card principal
Peso-leve: Tony Ferguson x Justin Gaethje
Peso-galo: Henry Cejudo x Dominick Cruz
Peso-pesado: Francis Ngannou x Jairzinho Rozenstruik
Peso-pena: Jeremy Stephens x Calvin Kattar
Peso-pesado: Greg Hardy x Yorgan De Castro

Card preliminar
Peso-leve: Donald Cerrone x Anthony Pettis
Peso-pesado: Alexey Oleynik x Fabricio Werdum
Peso-palha: Carla Esparza x Michelle Waterson
Peso-médio: Ronaldo Jacaré x Uriah Hall
Peso-meio-médio: Vicente Luque x Niko Price
Peso-pena: Charles Rosa x Bryce Mitchell
Peso-meio-pesado: Ryan Spann x Sam Alvey

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade