Governadores de 18 estados e do Distrito Federal se posicionam contra decreto do presidente para reabertura das academias

Publicado em 12/05/2020 por: Yago Redua
Governadores de 18 estados e do Distrito Federal se posicionam contra decreto do presidente para reabertura das academias Maioria dos governadores brasileiros se mostram contra decreto presidencial sobre academias (Foto Lineu Filho / Tribuna)

publicidade

* Um grande debate sobre a reabertura das academias de artes marciais vem ganhando destaque nas redes sociais nas últimas semanas. Na segunda-feira (11), um capítulo importante dessa discussão foi implementado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, que assinou um decreto inserido as academias, salões de beleza e barbearias na lista de “serviços essenciais”. A decisão presidencial, inclusive, pegou Nelson Teich, ministro da saúde, de surpresa.

LEIA A TATAME #261 ONLINE, AQUI

Apesar da emissão do decreto, o Supremo Tribunal de Justiça (STF) definiu, anteriormente, que cabe aos estados e municípios decidirem sobre as políticas de saúde em meio à pandemia do novo coronavírus.

De acordo com levantamento feito pelo site G1.com, governadores de 18 estados (AC, AL, AP, AM, BA, CE, ES, GO, MA, PA, PB, PR, PE, PI, RJ, RN, SP e SE) e do Distrito Federal se posicionaram contra o decreto do presidente. Atualmente, Santa Catarina e o Rio Grande do Sul permitiram a reabertura das academias. Minas Gerais deu autonomia para os municípios, enquanto os demais estados ainda não se manifestaram.

Imbróglio das academias no Paraná

No fim de abril, o governador do Paraná, Ratinho Jr, assinou um decreto liberando a reabertura de alguns estabelecimentos, como as academias. Entretanto, o deputado Alexandre Amaro, responsável pelo projeto de lei no estado que tenta colocar as escolas de artes marciais como “serviço essencial”, informou à TATAME que o governador recebeu dados referentes a liberação das academias que poderiam impactar diretamente na pandemia. Desta maneira, Ratinho Jr optou pela não flexibilização.

Ouvido pela reportagem na noite de segunda-feira (11), Alexandre Amaro acreditava que seria possível a reabertura das academias após o decreto do presidente. Além disso, voltou a defender a liberação, mas de forma controlada: “Não podemos voltar da maneira como era antes, mas como muitas adequações. Algumas academias de artes marciais já compraram bonecos para treino, como as de Jiu-Jitsu, por exemplo, que é uma luta agarrada. Muitas pessoas têm recomendação médica para fazer exercício, como é que a pessoa faz em casa? É muito difícil. Dentro dos condomínios as academias estão fechadas”, comentou.

Em nota nesta terça-feira, o governo paranaense afirmou que a curva de casos do novo coronavírus no estado segue crescendo e que especialistas vão avaliar sobre a reabertura de atividades econômicas após o aumento de testes para Covid-19 na população. No entanto, em sete municípios do interior do Paraná, através de decretos municipais, as academias já foram reabertas e estão funcionando.

O Brasil ultrapassou a marca de 12 mil mortes e mais de 172 mil casos confirmados do novo coronavírus.

* Por Yago Rédua

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade